Queda de público não desanima organizadores

A maior feira de agropecuária voltada à agricultura familiar do Brasil encerrou as atividades deste ano com saldo de 80 mil pessoas. O número de excursões também foi expressivo. Ao todo, 540 grupos vindos de cidades dos três estados do Sul visitaram a Expoagro Afubra. Apesar de o número de público ter sido inferior com relação ao ano passado – 84 mil –, a queda não desanimou os organizadores. Isso porque, conforme o coordenador geral da feira, o engenheiro agrônomo Marco Antonio Dornelles, este ano a feira surpreendeu no que diz respeito à qualidade dos estandes. “Tudo foi muito bem planejado. Desde as exposições, que foram bastante criativas, até as excursões que se deslocaram até aqui com data e hora marcada. Finalizamos a feira sem contratempos”, disse.

O presidente da Afubra, Benício Werner, destacou que o primeiro dia de chuva acabou atrapalhando o movimento da feira. Porém, avaliou que o maior ganho foi a troca de experiências. “O que nos interessa é que o agricultor tenha saído daqui com novos conhecimentos para aplicar nas lavouras e propriedades. Nesse sentido, a Expoagro 2016 cumpriu com a sua missão”, salientou.

Foi o caso do gerente de mar-keting de uma empresa que vende equipamentos ao meio rural, Fernando Carvalho. Segundo ele, a principal função do evento foi a interação e, por consequência, a troca de conhecimento com o público. “Nestes três dias, temos a possibilidade de realizar dinâmicas a fim de mostrar como os nossos produtos atuam, além de colocar a nossa marca na vitrine.” Carvalho afirmou ainda que neste ano não houve queda de vendas, mas também não foi registrado um crescimento expressivo.

“Temos a tradição de trazer grande parte da nossa linha de produtos. Ano que vem, pretendemos trazer ainda mais.” No mesmo ritmo encontrava-se o gerente de vendas de uma empresa de máquinas, Flávio Wink. Para ele, as vendas aconteceram dentro do esperado. “Oferecemos o diferencial de juros fixos, entre outras ofertas. Acredito que apesar dessa crise econômica que o País enfrenta, o fechamento da feira foi positivo”, comentou. O volume de negociações entre os expositores alcançou R$ 39 milhões.
Mais possibilidades para a agricultura familiar

Um dos espaços que ganham cada vez mais destaque no evento, o Pavilhão da Agricultura Familiar fechou a Expoagro com a perspectiva de melhor estrutura para 2017. Segundo o assessor da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul, Jucimar Rabaioli, a expectativa para o próximo ano é que o local ofereça ainda mais conforto aos agricultores. Isso porque uma emenda apresentada pelo deputado federal Heitor Schuch ao Orçamento da União 2016 vai destinar R$ 950 mil para a obra de ampliação que deve ser concluída até o próximo ano.

Este ano, 150 expositores venderam produtos de agroindústrias, artesanato, flores e plantas. Na edição passada, os expositores do pavilhão faturaram R$ 547,4 mil. Em 2016, porém, a movimentação financeira foi de R$ 501 mil, decréscimo de 10%. “Mais importante do que os números é a possibilidade de poder participar da Expoagro e mostrar a ‘cara’ da agroindústria familiar. Afinal, quem não é visto não é lembrado”, complementa Rabaioli.

Satisfeito em participar pela segunda vez consecutiva da feira, o produtor e proprietário de uma agroindústria especializada em rapaduras, Clovis José Scheer, de Augusto Pestana, afirma que a inserção no pavilhão colabora para agregar valor ao produto. “Aqui temos contato direto com o consumidor e, neste mesmo momento, já é possível receber o retorno dele. Para nós, isso é extremamente positivo, pois podemos aprimorar o que já vem sendo feito.” Scheer estima que mais de 500 rapaduras foram vendidas durante a Expoagro.

Por dentro da Expoagro
Palestras
Entre as muitas atividades proporcionadas pela 16ª Expoagro Afubra no último dia do evento estiveram diversas palestras e seminários. Durante a manhã de ontem, ocorreu no auditório principal o 2° Seminário de Pecuária Eficiente. Na ocasião, falaram o veterinário Paulo Roberto Moreira Ene e o coordenador de pecuária de corte do Sebrae/RS, Roberto Andrade Grecellé.

Após as abordagens sobre a experiência relacionada a um sistema produtivo de gado de corte e oportunidades existentes no mercado da carne gaúcha, os participantes tiveram a oportunidade de fazer perguntas. Atento às explanações, o veterinário e agropecuarista Vitor Ricardo Pritsch aproveitou o ensejo para adquirir novos conhecimentos sobre o setor. “Quando me sobra tempo, faço questão de comparecer à Expoagro. É um momento em que a gente pode se atualizar”, afirma.

Assinatura
Presente na Expoagro na manhã de ontem, o secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Tarcísio José Minetto, assinou o convênio de parceria entre a Afubra e a SDR que viabiliza a instalação do espaço para as agroindústrias participantes.

O recurso de R$ 176 mil é utilizado na montagem do espaço de 2,1 mil metros quadrados com pirâmides e estandes para 150 empreendimentos familiares de plantas e flores, artesanato e produtos coloniais. “Esse auxílio representa a oportunidade para fomentar a diversificação das culturas na agroindústria e abrir o mercado para novas operações”, explica.

Texto: Natany Borges/ Gazeta do Sul Foto: Bruno Pedry/ Gazeta do Sul

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *