QUASE 600 FAMÍLIAS ATINGIDAS POR GRANIZO NO SUL DO BRASIL

Santa Cruz do Sul/RS – O granizo atingiu lavouras de tabaco de quase 600 famílias produtoras no Sul do Brasil ao longo da semana. O balanço é da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra).

A região do Vale do Rio Pardo, no Rio Grande do Sul, é a principal produtora do País e foi também a mais atingida nos últimos dias. Na quarta-feira o município de Rio Pardo foi o mais atingido. E ontem foi a vez de Vera Cruz.

Nessa quinta-feira, as tempestades ocorreram em três horários distintos: durante a madrugada, próximo ao meio-dia e às 14 horas. Segundo o gerente de pesquisa e estatística da Afubra, Paulo Vicente Ogliari, em todo o Sul do Brasil foram 590 famílias produtoras afetadas por granizo esta semana.

A expectativa é de os avaliadores começarem as visitas às propriedades assim que o tempo se firmar. “Só vamos poder ter uma ideia da dimensão dos estragos após as primeiras verificações das equipes de campo”, explica.

Paulo Vicente Ogliari destaca que, quanto maior estiver o pé de tabaco, maiores são os danos à produção. “As plantas menores têm mais chances de se recuperarem, pois largam novas folhas.” Os levantamentos da Afubra apontam que, até o momento, são mais de 1,2 mil agricultores atingidos por granizadas nos três Estados do Sul – sendo 290 na microrregião de Santa Cruz. No mesmo período do ano passado, foram contabilizados 1.924 comunicados.

O gerente de pesquisa e estatística da Afubra destaca que os produtores ainda têm tempo de se prevenir de possíveis perdas: o período para inscrição no seguro mutualista segue até o fim deste mês. “Os interessados podem procurar a matriz ou filiais da Afubra para fazer seu pedido ou adicional. O seguro vale a partir do dia seguinte em que é feito”, reforça.

O produtor Leandro André Goecks, que planta tabaco em Ferraz, no interior de Vera Cruz, foi um dos afetados. É a primeira vez que a plantação dele é atingida. No total, são 95 mil pés de fumo que tiveram as folhas perfuradas pelo gelo e, em média, três quebradas.

Em Linha Cipriano, também em Vera Cruz, na propriedade do casal Beloni e Clídio Furtado, a chuva de granizo deixou, em média, cinco folhas quebradas em cada um dos 35 mil pés de fumo. A safra foi plantada no início de julho e deveria ser colhida no fim deste mês. Porém, conforme Beloni, a colheita será adiada devido aos estragos. A produtora precisará esperar a rebrota para tentar aproveitar as folhas que vierem, perdendo parte da qualidade.

Leandro André Goecks já calcula os prejuízos após granizada na lavoura (foto: Lula Helfer/Gazeta do Sul)

Leandro André Goecks já calcula os prejuízos após granizada na lavoura (foto: Lula Helfer/Gazeta do Sul)

Heloisa Corrêa e Michelle Treichel/Gazeta do Sul
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *