TABACO EVITA QUEDA AINDA MAIOR NAS EXPORTAÇÕES GAÚCHAS

Porto Alegre/RS – As exportações do Rio Grande do Sul somaram US$ 8 bilhões no primeiro semestre de 2015, redução de quase 10% no valor exportado em relação ao mesmo período do ano passado. Mesmo com volume maior, a queda ocorreu por conta da redução de preços dos produtos embarcados. O setor do tabaco foi um dos únicos com crescimento no período e foi decisivo para evitar resultados ainda mais amargos nas exportações gaúchas. Os dados são da Fundação de Economia e Estatística (FEE).

O primeiro semestre de 2015 foi o pior para as exportações do Estado desde 2010 em termos de valor exportado. Apesar disso, o desempenho foi melhor que o observado no Brasil, que registrou redução de 14,7% no valor. Com o resultado de janeiro a junho deste ano, o Rio Grande do Sul ocupou a quarta posição no ranking nacional dos estados exportadores, atrás de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

EFEITO SOJA

A queda de preço e crescimento de volume se verificou tanto na agropecuária quanto na indústria de transformação, segundo a FEE. O que puxou negativamente o setor da agropecuária foi a redução em valor da venda de soja para a China. “A soja é o principal produto da pauta exportadora do RS. Com a persistente e generalizada redução dos preços das commodities, as exportações da oleaginosa retraíram-se em 14,3%. Apesar desse recuo, as vendas permanecem em um patamar elevado em relação aos primeiros semestres dos anos anteriores”, avalia o pesquisador Tomás Torezani.

EFEITO TABACO

Na indústria, a retração foi puxada, principalmente, pela redução no valor exportado de derivados de petróleo; máquinas e equipamentos; produtos alimentícios; couros e calçados; e químicos. Os dados indicam que essa redução foi compensada, em parte, pelo crescimento do setor de tabaco e de veículos, reboques e carrocerias. Mesmo assim, dentre as 24 divisões da indústria de transformação, apenas quatro registraram variação positiva no valor exportado, incluindo a de tabaco. O produto é o segundo item na pauta de exportações do Estado, atrás apenas da soja.

De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), no primeiro semestre de 2015 as exportações de tabaco cresceram 15,74% em valor (FOB) e 24,79% em volume. Considerando as variedades Virgínia e Burley, foram embarcados 99,02 mil toneladas, o equivalente a US$ 575,1 milhões. No primeiro semestre de 2014 foram 74,47 mil toneladas, o equivalente a US$ 484,6 milhões.

Dos 40 maiores exportadores do Estado, cinco são do setor do tabaco. Na 11ª posição está a Universal Leaf Tabacos, que no primeiro semestre do ano embarcou o equivalente a US$ 132 milhões em tabaco. O valor é 20% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.

Igor Müller
igor@editoragazeta.com.br
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *