SEMINÁRIOS DEBATEM CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

Apesar da chuva, evento reuniu 100 pessoas no interior de Santa Cruz do Sul (foto: Rodrigo Assmann/divulgação)

Apesar da chuva, evento reuniu 100 pessoas no interior de Santa Cruz do Sul (foto: Rodrigo Assmann/divulgação)

Santa Cruz do Sul/RS – Manejar a biodiversidade significa desenvolver ações que melhorem as condições dos seres vivos e dos ambientes naturais, garantindo também os benefícios para a agricultura e para a vida no campo e na cidade.

Este foi um dos temas debatidos durante o Seminário da Biodiversidade, realizado na tarde dessa sexta-feira na propriedade do casal Joel e Alexandra Junkherr, na localidade de Reserva, interior de Santa Cruz do Sul, numa promoção da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), Fauna & Flora International (FFI) e Souza Cruz.

O evento, que mesmo com tempo chuvoso contou com a presença de 100 pessoas, entre representantes das entidades parceiras, produtores rurais e representantes de instituições ligadas à agricultura, apresentou os resultados de 40 meses de estudo junto a um grupo de 17 produtores rurais do município de Paula Freitas (PR).

Na ocasião, os participantes receberam a Cartilha do Produtor Rural, desenvolvida pelo Projeto Parcerias pela Biodiversidade. “Ao implementar as técnicas sugeridas pela cartilha, além de conservar a biodiversidade e garantir a adequação legal de sua propriedade os produtores fortalecem os recursos naturais fundamentais para uma produção agrícola sustentável”, destaca o gerente de Sustentabilidade da Souza Cruz, Claudimir Rodrigues.

semi_1

Rodrigues: pelo fortalecimento dos recursos naturais (foto: Rodrigo Assmann/divulgação)

O orientador agrícola Gilberto Carminatti abriu o seminário, destacando o histórico da iniciativa e dando as boas-vindas aos participantes. A primeira apresentação da tarde coube ao biólogo e técnico da SPVS, André Zecchin, que detalhou o Projeto Parcerias pela Biodiversidade. Segundo ele, das 17 propriedades participantes, 14 são produtoras de tabaco e três de soja e leite. “Considerando a realidade de cada propriedade rural participante do projeto, definimos juntamente com os produtores, as oito ações de manejo a serem trabalhadas e monitoradas em áreas experimentais”, enfatizou.

Já o professor Alessandro Angelo, do curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal do Paraná (UFPR), apresentou o Projeto Arboreto, com modelos de manejo sustentável de florestas comerciais de reflorestamento, desde as melhores espécies e variedades, escolha da área de plantio e manejo da floresta plantada. “É muito bom participar de um evento como este e compartilhar conhecimento sobre projetos tão importantes como estes”, frisou.

semi_2

Angelo: manejo sustentável de florestas (foto: Rodrigo Assmann/divulgação)

PROPRIEDADE SUSTENTÁVEL

Ao todo, oito seminários de sensibilização devem acontecer na região Sul do Brasil. A programação está inserida no Programa Propriedade Sustentável da Souza Cruz e traz uma abordagem sobre modelos de intervenção ambiental economicamente viáveis para enriquecimento ambiental e desenvolvimento de serviços ecossistêmicos para as propriedades rurais familiares. Após as palestras, os participantes do Seminário foram divididos em grupos e percorreram as três estações: Uso racional dos recursos com foco na preservação e recuperação da biodiversidade; Recomposição da biodiversidade; e Propriedade Sustentável.

Four Comunicação
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *