Safra vai repetir o bom volume de contratações; ainda há vagas

Texto: Rodrigo Nascimento, Jornal Gazeta do Sul

Santa Cruz do Sul/RS – Até a segunda quinzena de fevereiro, a indústria fumageira de Santa Cruz do Sul havia chamado 3.607 safreiros. Como muitos trabalhadores foram empregados nas semanas seguintes e ainda há perspectiva de contratações, a tendência é de uma repetição do bom desempenho na geração de vagas do ano passado.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo e Alimentação de Santa Cruz do Sul e Região (Stifa), Sérgio Pacheco, existe um grande otimismo quanto à safra deste ano. “Além do número de contratos, esperamos que eles durem de cinco a seis meses, o que também é muito positivo”, projeta.

Pacheco ressalta que, entre a última semana de fevereiro e a primeira semana de março, ocorreram muitas contratações para a safra deste ano. “E como ainda existe bastante tabaco para ser comprado dos produtores, poderemos ter uma continuidade na oferta de vagas”, comemora.

O setor espera uma safra dentro da “média histórica” (veja no quadro acima). Segundo o Stifa, descontando o ano de 2016, quando a geração de vagas foi barrada pela crise econômica, o número de 6 mil contratos em média é constante. “Em 2016, a economia de Santa Cruz perdeu cerca de R$ 10 milhões”, avalia.

Desempenho

2013: 6.353 contratos

2014: 7.325 contratos

2015: 6.718 contratos

2016: 3.687 contratos

2017: 5.780 contratos

A volta de Gabriela

Nos anos de 2016 e 2017, a safreira Gabriela da Rocha não pôde trabalhar na destala manual do tabaco. Primeiro foi o nascimento da primogênita, Nicole. No ano seguinte, quem chegou para aumentar a família, moradora do Bairro Progresso, foi Luís André.

Com os dois filhos bem de saúde, ela retornou à atividade ontem. Ainda acertando o itinerário das crianças e em busca de uma cuidadora ou vaga em creche para Nicole, ela comemorou o retorno. “É sempre um dinheiro importante no orçamento. Fez falta neste tempo em que fiquei fora. Meu marido perdeu o emprego e agora tenho muitas contas para pagar com a safra”, revela.

Quebra não irá prejudicar contratos, projeta sindicato

Ainda na metade da colheita do tabaco, a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) havia projetado uma quebra de 20 mil toneladas na produção da Região Sul para esta safra. Segundo a entidade, dois fatores interferiram na redução da oferta do produto. Um deles foi o clima: temporais de granizo e a estiagem – esta especialmente nos municípios produtores do Sul do Estado. O outro foi uma diminuição em quase mil hectares na área geral plantada.

Conforme o presidente do Stifa, a redução projetada pela Afubra pouco interferiu na movimentação da indústria durante este ano. “Para que haja redução na contratação de safreiros, é preciso que ocorra queda na produção em pelo menos três anos seguidos”, justifica. Sérgio Pacheco ressalta que as gigantes do setor fumageiro mantêm estoques de tabaco como reservas para usar nosmomentos em que a produção está aquecida e a oferta em baixa.

Ainda há vagas

  • Premium Brazil Tabacos – Ainda realiza entrevistas para contratação de safreiros. Quem deseja trabalhar na indústria pode deixar um currículo junto à portaria ou se cadastrar no site da Premium.
  • Universal Leaf Tabacos – A seleção segue com poucas vagas. Quem busca uma colocação na empresa pode deixar o currículo na recepção da indústria, ou pedir uma indicação. A Universal irá disponibilizar fichas internas para funcionários já contratados. Estes poderão indicar conhecidos para a safra em curso.
  • Souza Cruz – Conforme o setor de Recursos Humanos da fumageira, o maior volume de funcionários – assim como Gabriela, do Bairro Progresso – foi chamado ontem. No entanto, ainda restam algumas vagas e os interessados podem procurar a HB Consultoria. A empresa recebe currículos e disponibiliza uma ficha para preenchimento do candidato.
  • ATC – Candidatos a uma vaga temporária na empresa podem deixar currículo junto à portaria da indústria. Ainda há algumas vagas.
  • JTI – A empresa trabalha já com dois turnos, mas ainda tem perspectiva de novas contratações. Segundo o setor de Recursos Humanos, para a safra é preciso deixar currículo na portaria. Já para trabalhar na fábrica de cigarros – ainda em instalação –, é necessário fazer um cadastro no site da JTI.
  • Philip Morris – Conforme o setor de pessoal da empresa, todos os safreiros já foram chamados. Para as próximas safras, novos candidatos precisam se inscrever no site da companhia.
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *