Quase 50% dos municípios da Região Sul do Brasil produzem tabaco

Santa Cruz do Sul/RS – Produto de inquestionável importância no agronegócio brasileiro, o tabaco, além de manter o homem no campo com qualidade de vida, é a principal fonte de receita para centenas de municípios. Com mais de 98% da produção concentrada na Região Sul do Brasil, o tabaco é em muitos municípios a mola propulsora do desenvolvimento.

É o caso de Canguçu, no sul do Rio Grande do Sul, que na última safra ocupou a liderança do ranking de maiores produtores de tabaco, seguido de São Lourenço do Sul e Venâncio Aires – que por muitos anos foi considerado o maior produtor de tabaco do Brasil de acordo com dados da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra).

Atualmente, a cultura está presente em 574 dos 1.191 municípios do Sul do Brasil, envolvendo 144.320 famílias e, aproximadamente, 576 mil pessoas no meio rural. De acordo com dados da safra 2015/2016, os 293 mil hectares plantados renderam 539 mil toneladas produzidas e R$ 5,2 bilhões aos produtores.

Para o presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), Iro Schünke, a produção de tabaco faz parte da tradição destes municípios, além de ser a cultura fundamental nos aspectos sociais e econômicos. “O tabaco continua sendo referência de qualidade de vida e de renda para a agricultura familiar e a qualidade do produto segue sendo reconhecida pelos importadores”, avalia. Conheça o perfil do produtor de tabaco (aqui).

O Rio Grande do Sul possui sete dos 10 maiores produtores de tabaco do Brasil: Canguçu, São Lourenço do Sul, Venâncio Aires, Santa Cruz do Sul, Candelária, Camaquã e Vale do Sol. Juntos, esses municípios respondem por 16% do total produzido na Região Sul, com 87.164 toneladas. Ao todo, 236 municípios gaúchos plantam tabaco e o Estado responde por mais de 50% da produção brasileira.

Santa Catarina aparece com a 4ª e a 6ª posição do ranking, representados por Canoinhas e Itaiópolis, respectivamente. Mais de 70% dos municípios catarinenses produzem tabaco: dos 295 municípios, 207 obtiveram renda com a produção da folha. Além de Canoinha e Itaiópolis, Santa Terezinha, Irineópolis, Bela Vista do Toldo, Mafra, Papanduva, Vidal Ramos, Ituporanga e Içara estão entre os maiores produtores na última safra.

Rio Azul, no Paraná, ficou na 10ª posição entre os 10 maiores produtores do Sul do Brasil. Outros 130 municípios paranaenses cultivaram tabaco na última safra, com destaque também para São João do Triunfo, Prudentópolis, Ipiranga, Irati, Imbituva, Palmeira, Guamiranga, Piên e Ivaí.

Screen Shot 2017-01-25 at 11.21.01

Screen Shot 2017-01-25 at 11.21.30DESTINO DO TABACO – Ao deixar a casa do produtor, o tabaco passa por um processo de beneficiamento que envolve cerca de 40 mil pessoas em indústrias altamente qualificadas, localizadas em sua maioria na região do Vale do Rio Pardo, no Rio Grande do Sul. Depois de ser classificado, destalado, fragmentado e umidificado, o tabaco forma um blend específico e está pronto para o seu destino final.

Historicamente, cerca de 90% da produção é exportada para 90 países, colocando o Brasil na primeira posição do ranking mundial de exportação desde 1993 e gerando uma intensa movimentação logística, bem como milhares de empregos diretos e indiretos. Bélgica, China e Estados Unidos estão entre os principais destinos do produto. Estatísticas e infográficos (aqui).

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *