Milho e Feijão pode render R$ 120 milhões aos fumicultores paranaenses

Ipiranga/PR – O Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (Sinditabaco) apresentou nessa terça-feira, 17 de maio, os números da safrinha de grãos cultivados após a colheita do tabaco no Paraná. O evento ocorreu em Ipiranga, na propriedade de Edenilson Scheifer, na Colônia Scheifer, com presença de representantes dos governos estadual e municipal; da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra); da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep); da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep); do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), e produtores rurais.

Segundo pesquisa realizada pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (Sinditabaco), a safrinha paranaense teve o plantio de 18 mil hectares de milho e 9 mil hectares de feijão. No Paraná, com uma produtividade média do milho estimada em 6,1 toneladas por hectare, o resultado deverá chegar a 110 mil toneladas.

Considerando o preço médio de R$ 615,00 por tonelada, o rendimento por hectare é estimado em R$ 3.754,00, e o total da safrinha de milho pode chegar a R$ 67 milhões. Em relação ao feijão, a produtividade projetada é de 2,2 toneladas por hectare, com safra de 21 mil toneladas. Ao preço médio de R$ 2.550,00 por tonelada, o rendimento médio esperado é de R$ 5.708,00 por hectare e o total da safra de feijão poderá chegar a aproximadamente R$ 52 milhões.

Para o presidente do Sinditabaco, Iro Schünke, o programa Milho e Feijão tomou forma com o tempo e proporcionou benefícios para os produtores: “O programa Milho e Feijão tem trinta anos de história e ficou mais encorpado, sendo difundido para todos os produtores. O Paraná poderá ter geração de renda de R$120 milhões de reais para os produtores. Dessa forma, consideramos os resultados obtidos positivos.”

O representante da Fetaep e presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ipiranga, José Amauri Denck, ressaltou a importância do plantio de milho e feijão. “A Fetaep vê com bons olhos e apoiamos a continuidade do programa.” O presidente do Sindicato de Irati, Mesaque Kcot Veres, reforçou seu apoio à iniciativa. “Temos a certeza de que esse plantio traz resultados positivos e temos que apoiar e incentivá-lo.”

O gerente da filial da Afubra em Imbituva, Lázaro Ramon Böck, colocou-se à disposição para auxiliar os produtores. “Somos parceiros e buscamos divulgar sempre a importância da diversificação rural e seus benefícios. Estamos à disposição para auxiliar os produtores para o desenvolvimento de suas plantações de milho e feijão.”

O secretário da Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Anacleto Ortigara comentou que a iniciativa evita a erosão do solo e é uma atitude racional a utilização da resteva do tabaco para cobrir o solo e cultivar outras safras. O prefeito de Ipiranga, Roger Selski confirmou seu apoio. “Nós defendemos e defenderemos iniciativas como essa do SindiTabaco, que são benéficas para a economia do nosso município.”

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *