Produtores de tabaco movimentam a economia sul-brasileira

Santa Cruz do Sul/RS – Na Região Sul do Brasil, a produção de tabaco acontece em 557 municípios e a safra 2018/19 rendeu R$ 5,9 bilhões de receita às 149 mil famílias produtoras, segundo informação da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra). Instituído em 2013, o Dia do Produtor de Tabaco passou a ser comemorado oficialmente em 28 de outubro, momento em que cerca de 600 mil pessoas envolvidas com o cultivo são celebradas. E esses milhares de produtores têm um único propósito: viver cada vez melhor.

E é preciso dizer que há reais motivos para celebrar, pois se trata de uma categoria com nível econômico e social acima da média geral dos trabalhadores brasileiros, conforme foi comprovado em pesquisa do Centro de Estudos e Pesquisas em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Cepa/Ufrgs).

Para a elaboração do Perfil Socioeconômico do Produtor de Tabaco da Região Sul do Brasil, foi realizada uma pesquisa em 2016, em 15 das 21 microrregiões produtoras de tabaco que compõem a Região Sul do Brasil – o que corresponde a 94,3% do total produzido na região. Na época, o dado que mais impressionou os pesquisadores foi a renda per capita mensal média da população de produtores de tabaco da Região Sul, que era de R$ 1.926,73, enquanto a renda per capita no Brasil era de R$ 1.113,00.

“Enquanto 78,5% dos brasileiros estavam compreendidos nos estratos sociais C, D e E, mais de 80% dos produtores de tabaco estavam compreendidos nos estratos sociais A e B”, avalia Iro Schünke, presidente do SindiTabaco, entidade que encomendou a pesquisa que demonstrou ainda que os produtores tem um bom acesso a itens relacionados às condições de conforto, higiene e saúde, respaldado pelo nível de renda.

MANIFESTO – Retratar a vida dos produtores rurais na atualidade, homens e mulheres que vivem de cultivar a terra com planejamento, inovação e de olho na sustentabilidade são objetivos do vídeo manifesto lançado no início do mês pelo SindiTabaco. Segundo o presidente da entidade, Iro Schünke, o manifesta levanta questões inerentes ao homem do campo que trabalha pela qualidade de seu produto com informação, precisão e preservação.

“O Brasil é um país grande e em seu território existem diferentes formas de cultivar a terra. Aqui no Sul o produtor tira seu sustento em uma pequena área. O agronegócio familiar é exemplo de empreendedorismo, de persistência e de boas práticas. Homenageá-lo é o grande objetivo deste manifesto”, afirma Iro Schünke, presidente do SindiTabaco.

A sucessão também é tema do manifesto. “Quando a tecnologia encontra o campo, a família se une mais, o jovem opta pela terra, junta força, coragem, conhecimento, aprende com a experiência e transforma com sustentabilidade”, consta eu outro trecho do vídeo. Para ver na íntegra, clique aqui.

DIA DO PRODUTOR – A data foi instituída pelas Assembleias Legislativas do Rio Grande do Sul (Lei 14.208, de março/2013, de autoria do deputado estadual Heitor Schuch), de Santa Catarina (Lei 16.114, de setembro/2013, de autoria do deputado estadual Mauro de Nadal), e do Paraná (Lei 17.729, de 2013, de autoria do deputado estadual Anibelli Neto.

Saiba mais: clique aqui

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *