Por Dentro do Safra: de olho no céu a espera da chuva

Por Giovane Luiz Weber, produtor de tabaco

Depois de muita chuva semanas atrás, agora os agricultores estão de olho no céu a espera de uma precipitação. Tivermos dias muito frios e secos ultimamente. A previsão é de esquentar esta semana e vir chuva no fim de semana. Tomara que assim seja, pois caso contrário fica complicado. Mas quanto a isso não podemos fazer nada, a não ser esperar. O tabaco plantado em julho (foto), mesmo com todo frio e falta de chuva, cresce bonito na lavoura. Basta agora chover e dar clima um pouco mais quente para a plantação se desenvolver rapidamente. Estas plantas vão receber a segunda dose de salitre, ou seja, há colocação de adubo antes do plantio, depois de 10 a 15 dias vai a primeira salitrada e aos 30 a 35 dias a segunda. E aí é só esperar o tempo fazer o resto. Já diferente é a situação das áreas com mudas transplantadas em agosto, que pegaram frio e vento gelado e agora, com a falta de chuva, não consegue criar raízes.

Nova máquina facilita o trabalho
Nos últimos dias acompanhamos a entrega de uma máquina auxiliadora na colheita de tabaco, na propriedade de Jorge Schäffer, na localidade de São Martinho, no interior de Santa Cruz do Sul (foto). Com o equipamento também dá para passar defensivos e plantar sentado. O produtor planta tabaco, milho, mandioca e cria gado, porcos e galinhas. E a máquina vai facilitar um pouco o trabalho na lavoura. Porém, ela tem um custo alto. O produtor fez a aquisição da máquina com financiamento sem juro, com apoio da Philip Morris, empresa para a qual produz pelo sistema integrado.

Audiência sobre cigarros eletrônicos
A expectativa hoje por parte da cadeia produtiva do tabaco fica por conta da segunda audiência pública da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para debater a possível liberação do comércio de cigarros eletrônicos. A reunião ocorre ao longo de todo o dia, no Rio de Janeiro e deve contar com a participação de lideranças e representantes dos setores da saúde e também do tabaco. O primeiro encontro para tratar da questão ocorreu no dia 8 de agosto, em Brasília. A finalidade é analisar vantagens ou desvantagens da liberação dos dispositivos eletrônicos para fumar (DEFs), como são chamados.

De ouvido e de olho nas informações
As audiências públicas da Anvisa integram as etapas no processo de levantamento de informações para, mais adiante, definir-se pela pertinência ou não de regulamentar o comércio dos novos produtos de tabaco no País. Vamos ficar ligados na Rádio Gazeta FM 107,9 e o Portal Gaz, bem como acompanhar a cobertura geral na Gazeta do Sul para saber os rumos da questão.

Assista ao vídeo no Portal Gaz

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *