Por Dentro da Safra – da lavoura à indústria

Por Giovane Luiz Weber – Produtor de tabaco

Chegamos na reta final…

Opa, tudo bem?! Mais uma semana do projeto “Por dentro da safra” e vamos nos encaminhando para o fim do período dos canteiros. É a primeira grande etapa de uma safra de tabaco, que na verdade começa mais cedo com o preparo do solo. Se tudo correr dentro dos conformes, nos próximos dias começo, aos poucos, o processo de transplante das mudas dos canteiros para a terra. Muitos fumicultores da região já estão com esta etapa concluída.

…dos canteiros

Mas antes que o ciclo dos canteiros termine, quero falar mais um pouco sobre eles. Um canteiro bem preparado e bem cuidado é fundamental para uma safra de qualidade. As bandejas em geral são de isopor, embora o mercado ofereça algumas de plástico. Aliás, os novos modelos estão ganhando cada vez mais espaço. Mas aqui na propriedade usamos as de isopor, que são devidamente higienizadas antes do início de uma nova safra.

Simples de fazer

Feita a limpeza das bandejas – o que é fundamental para eliminar fungos e bactérias que podem vir a prejudicar a planta – vem o preenchimento com substrato, que é onde a semente vai se desenvolver. Usamos um marcador feito de madeira, bem simples, para fazer os furinhos em cada quadradinho da bandeja. É algo rápido e fácil, mas que exige um pouco de cuidado. Um pequeno pote vem com aproximadamente 15 mil sementes de tabaco, o que é muita coisa! Cada uma dessas sementes, que são bolinhas beeem menores que uma lentilha, por exemplo, dará origem a uma muda.

Atenção diária

Com as bandejas cheias, é hora de deixá-las nos canteiros. Aí começa a fase dos cuidados diários. Esquentou? Lá vai o agricultor abrir os plásticos para arejar. Esfriou demais? Corre lá para revisar se o plástico está bem fechado. É um trabalho diário, mas que dá muito gosto de ser feito. Afinal, é o começo de mais um ciclo.

Os conhecimentos na prática

Passados cerca de dez dias as mudinhas começam a nascer e é a vez do adubo. Cerca de 20 dias depois, quando os canteiros já estarão completando um mês, é a hora do repique: uma revisão geral em cada uma das bandejas para corrigir onde está faltando uma mudinha ou onde nasceram duas ou três no lugar de uma só. Paralelo a isso fazemos os tratos fitossanitários, que é quando colocamos em prática tudo aquilo que nos é repassado pelo orientador e o que aprendemos nos cursos dos quais participamos. São usados pouquíssimos mililitros de defensivo, ao contrário do que se diz por aí para tentar sujar a imagem do setor.

Tem vídeo novo

E a etapa final é a das podas das mudas. São três ou quatro, dependendo do clima. Vamos aparando as plantas para controlar o crescimento e deixá-las mais fortes para o desenvolvimento na lavoura. Quer ver isso em detalhes e com imagens? Então acessa gaz.com.br e confere o vídeo. Até semana que vem!

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *