Por dentro da safra: a hora dos tratos culturais

Por: Giovane Luiz Weber, produtor de tabaco

Série mostra o passo-a-passo da produção do tabaco

Opa, tudo bem? Entramos nos últimos dias em uma nova etapa da lavoura de tabaco aqui na propriedade, no interior de Santa Cruz. Depois do atraso na conclusão do transplante das mudas por conta das chuvaradas, fizemos a primeira aplicação de salitre. Trata-se de um adubo de cobertura que é aplicado duas vezes: a primeira dose cerca de duas semanas depois do transplante das mudas e a segunda, de 30 a 40 dias depois. Paralelo a isso, controlamos – com a enxada mesmo – algum inço que apareça na lavoura.

Safra atrasada

Conforme comentei semanas atrás, a safra está um pouco atrasada por aqui. Isso porque em julho choveu muito e o transplante das mudas não foi realizado no ritmo que gostaríamos. Agosto também teve um período chuvoso e frio, o que igualmente nos prejudicou. O fato é que, em vez de terminar o plantio dos 70 mil pés de tabaco no início de agosto, consegui dar o trabalho por concluído somente na semana passada.

Lado bom

Na prática, esse escalonamento não deve ser de todo mal. Conseguimos escapar de algumas noites bem frias, que poderiam ter causado mais problemas se todo o tabaco já estivesse na terra. Também deve facilitar um pouco na hora da colheita e da cura na estufa.

Preparo da lenha

Paralelo aos tratos culturais e ao plantio de hortaliças que vendemos na cidade, por aqui é hora de organizar a lenha que será usada na cura do tabaco. Parte produzimos na propriedade mesmo e parte é comprada. Quem pode sempre organiza o estoque agora, que ainda é cedo, evitando preços mais altos e até falta de lenha na reta final do ano. A lenha é um insumo básico por aqui mais ou menos entre outubro e janeiro – isso quando a safra não atrasa, claro.

Desbrote

Ao invés de iniciar a colheita, no fim do mês que vem deveremos estar envolvidos com o desbrote. É o que chamamos de capação, ou seja, a retirada da flor do pé de tabaco. É natural que toda planta floresça para depois se reproduzir, mas como nosso interesse é ter folhas grandes e encorpadas, tiramos a flor para que toda a energia do pé vá para as folhas. Mas isso é assunto para mais adiante.

Online

Para terminar, deixo dois convites. O primeiro é para que você acompanhe o vídeo desta semana na página Fumicultores do Brasil. O segundo é para que acompanhe toda a semana – mais precisamente segunda-feira, sempre às 20 horas –, também na página Fumicultores do Brasil, o programa Agricultura Online, onde repassamos as notícias da semana e trocamos ideias com agricultores da região. É ao vivo em vídeo.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *