Philip Morris debate sustentabilidade

São Paulo/SP – A vice-presidente de Assuntos Corporativos da Philip Morris International (PMI) para América Latina e Canadá, Gabriela Wurcel, foi uma das painelistas do Sustentável 2018 – Congresso Internacional sobre Desenvolvimento Sustentável, que ocorreu nessa terça-feira, dia 11, em São Paulo.

Ao lado de outros executivos, Gabriela debateu, às 15h10, o tema “Que Sociedade Nossos Negócios Estão Construindo?”. A participação de Gabriela nessa discussão ocorreu em um momento importante para os negócios da PMI, que anunciou globalmente o objetivo de parar de comercializar cigarros e oferecer aos adultos fumantes alternativas potencialmente menos nocivas.

“Existe uma crescente demanda da sociedade junto ao setor privado para a busca de soluções concretas e modelos de negócio sustentáveis, por meio da ciência e avanços tecnológicos, e com o setor de tabaco não pode ser diferente. Apesar dos bons resultados das políticas de controle do tabaco ao redor do mundo, o Brasil ainda possui 20 milhões de fumantes e a maior contribuição que podemos fazer é encarar de frente os malefícios causados pelo tabagismo através de estudos científicos, inovação e tecnologia para desenvolver melhores alternativas”, afirma Gabriela Wurcel.

Embora a progressiva eliminação dos cigarros e o desenvolvimento de melhores alternativas seja a maior contribuição da Philip Morris International para a agenda do desenvolvimento sustentável, existe uma série de outras contribuições que a empresa faz através da gestão do seu negócio.

“Para a Philip Morris International, a sustentabilidade é um elemento-chave de sua estratégia de negócio e nossa visão abrange quatro aspectos: o primeiro e fundamental diz respeito à transformação do nosso negócio e o objetivo de construir de um futuro sem fumaça. Entretanto, não é possível se pensar em sustentabilidade e construir essa nova visão sem basear a forma como conduzimos os nossos negócios nos mais altos padrões éticos e de transparência e em como nos relacionamos com o meio ambiente e com as comunidades onde estamos presentes”, finaliza Gabriela.

Metas sociais e ambientais

A Philip Morris International também está empenhada em desenvolver iniciativas que contribuam para outras metas de desenvolvimento sustentável, especialmente no Brasil, onde a empresa possui uma das mais complexas e dinâmicas cadeias de produção. No País, a Philip Morris Brasil (PMB) atua desde a compra direta do tabaco de mais de 6 mil pequenos produtores na Região Sul, exportado para vários países, até a operação de uma das mais completas e modernas fábricas de cigarro da empresa em todo o mundo.

Por essa razão, adota uma política global de boas práticas junto aos produtores de tabaco, no sentido de promover condições de trabalho adequadas e seguras a milhares de pessoas. Um bom exemplo é o programa de Práticas de Trabalho Agrícola (ALP), único em termos de escala, escopo e transparência. Através de treinamento contínuo, monitoramento e ações específicas, seja com o uso da tecnologia, através do Portal do Produtor, assim como pessoalmente, por meio do Programa +Campo, o programa vem atingindo excelentes resultados junto aos produtores de tabaco no Brasil.

Dentro desta política são também contempladas ações com o objetivo de auxiliar os produtores a obterem ganhos de produtividade e a diversificar suas culturas, incrementando suas rendas, assim como questões relevantes para o meio ambiente, como redução de emissões de carbono, preservação da água, conservação da biodiversidade e combate ao desmatamento.

Globalmente, a Philip Morris International estabeleceu Science based target para reduzir suas emissões de carbono, em linha com o acordo de Paris. Em 2017, a empresa alcançou uma redução de 31% em todas as emissões de escopo, superando a meta inicial de 30% até 2020. Além disso, a empresa faz parte das listas A do CDP (Carbon Disclosure Project), tanto para clima como para água, como reconhecimento dos seus esforços em relação às mudanças climáticas e administração de recursos hídricos, sendo uma das 25 empresas do mundo que obtiveram nota A nas duas áreas.

A fábrica da PMB localizada em Santa Cruz do Sul (RS) foi a primeira do Brasil e da América Latina a receber a certificação concedida pela Alliance for Water Stewardship (AWS). O documento leva em conta não apenas o uso racional da água nos processos internos da fábrica, mas também as iniciativas que a empresa mantém junto à comunidade, incluindo a preservação das bacias hidrográficas e as necessidades da comunidade do entorno. Este é o caso do programa Protetor das Águas, executado em parceria com pequenos produtores de tabaco da região do Vale do rio Pardo (RS).

Por meio do uso sustentável, a empresa reduziu em mais de 30% o volume de água utilizado para a fabricação de cigarros entre 2010 e 2017. No ano passado, mais de 30 mil metros cúbicos de água passaram por tratamento antes de retornar ao meio ambiente e outros 9 mil metros cúbicos foram reutilizados no próprio sistema produtivo. Para este ano, a meta é alcançar uma nova diminuição de 2,8% no consumo.

Na área da educação, uma série de projetos desenvolvidos em estados da Região Sul desde 2011 também beneficiaram mais de 2 mil alunos nos últimos anos, a maioria deles filhos de pequenos produtores rurais. Isso acontece por meio de iniciativas como a Escola Rural, que promove a inclusão digital e a cidadania, ou o Escola Melhor, Sociedade Melhor, em parceria com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul, que visa a modernizar as instalações de unidades educacionais da rede pública. Além disso, a PMB apoia a educação no campo defendida pelas Escolas Família Agrícola de Santa Cruz do Sul (Efasc) e Vale do Sol (Efasol), no Rio Grande do Sul, financiando bolsas de estudo para jovens rurais e investindo em melhorias das instalações e condições de ensino oferecidas por essas instituições.

Sobre a Philip Morris Brasil

A Philip Morris Brasil atua no País desde 1973, onde conta com 3 mil colaboradores. A empresa é uma afiliada da Philip Morris International (PMI), uma das empresas líderes no setor de tabaco, com seis das 15 principais marcas e produtos comercializados em mais de 180 países. Além da fabricação e venda de cigarros, incluindo Marlboro, a marca mundial de cigarros número um, e outros produtos de tabaco, a PMI está empenhada no desenvolvimento e comercialização de produtos de risco reduzido (RRPs). Esses produtos apresentam, podem apresentar ou têm o potencial de apresentar menor risco de danos aos fumantes que mudam para estes produtos na comparação com o tabagismo continuado.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *