O peso do tabaco nas exportações gaúchas em 2015

Santa Cruz do Sul/RS – No mês de abril de 2015 o Rio Grande do Sul exportou o montante de US$ 1,646 bilhão, sendo US$ 1,194 bilhão (72,55%) provenientes do agronegócio. O saldo da balança comercial gaúcha foi de US$ 719 milhões, enquanto o saldo dos produtos provenientes do agronegócio foi de US$ 1,124 bilhão.

Segundo o Relatório do Comércio Exterior do Agronegócio do Rio Grande do Sul, produzido pela Equipe Econômica da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul (Farsul), frente a abril de 2014 há uma retração mínima, de 0,02%, o que indica um comportamento relativamente estável, dentro do projetado para o período diante das dificuldades e a conjuntura econômica do País e do Estado.

O chamado complexo soja apresenta crescimento de 18,06% (US$ 116 milhões), com aumento dos embarques do grão e receita chegando a US$ 640 milhões. Os cereais foram responsáveis por US$ 60 milhões, e queda de 57%. As carnes apuraram US$ 167 milhões, uma queda de 11,44%. O tabaco e seus produtos exportados alcançaram US$ 54 milhões faturados em abril, com 16,14% a menos do que na mesma temporada em 2014. Parte desse comportamento se explica por um maior fracionamento das vendas, que começaram mais cedo em 2015.

O economista-chefe da Farsul, Antônio da Luz, destaca que no período acumulado de janeiro a abril de 2015 o Rio Grande do Sul exportou US$ 3,084 bilhões em mercadorias provenientes do agronegócio, com aumento de 5,34% em relação ao mesmo período de 2014. Comparando-se os valores acumulados no primeiro quadrimestre dos dois anos em questão, observa-se o resultado positivo de 13,17% no complexo soja e a evolução dos grupos cereais (11,31%), tabaco e seus produtos (27,95%) e lácteos (654,96%). Com desempenho negativo aparecem as carnes e produtos florestais, com queda de 7,66% e 5,42%, respectivamente.

TABACO

Isso quer dizer que mesmo com queda do valor apurado em abril, a soma obtida com o tabaco e seus produtos são maiores neste início de ano em comparação ao mesmo período do ano passado. A disponibilidade de estoques de passagem favoreceram a venda no início do ano. O relatório da Farsul indica que houve um crescimento das exportações do tabaco em folha e desperdícios, em valores, de US$ 259,8 para US$ 351,6 milhões, o equivalente a 35,3% de janeiro a abril de 2015, comparado com igual período de 2014. Mas, já nos produtos manufaturados de tabaco, a queda foi de 37%, de US$ 29,5 milhões para US$ 18,6 milhões.

Esta disponibilidade maior também interferiu nas importações. Segundo o relatório da Farsul, o Rio Grande do Sul reduziu em 4,82% os valores empregados na compra externa de tabaco e seus produtos, especialmente de matérias-primas.

Cleiton Santos
cleiton@editoragazeta.com.br
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *