NOVA EMBALAGEM VAI ESTIMULAR CONTRABANDO, DIZ CÂMARA SETORIAL

Santa Cruz do Sul/RS – Já saiu no Diário Oficial da União a portaria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com as novas regras a serem aplicadas em embalagens de produtos derivados do tabaco, que mudam a partir da virada do ano. Além da foto na parte de trás, que já vem com uma mensagem sobre os efeitos nocivos do cigarro, a parte da frente apresentará uma advertência ocupando 30% do espaço total. As atuais embalagens deverão ser recolhidas do mercado até 30 de junho de 2016.

Para Romeu Schneider, presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco e secretário da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), a medida deverá estimular ainda mais o contrabando de cigarros, que já domina quase 40% do mercado no Brasil. “Certamente as embalagens do produto ilegal continuarão as mesmas e circularão ainda em maior quantidade”, lamenta o dirigente. Schneider critica a forte ofensiva do governo contra o setor, que movimenta cerca de R$ 5,5 bilhões somente na produção concentrada nos três estados do Sul.

Para o presidente da Câmara Setorial, cada medida restritiva que entra em vigor compromete um pouco mais o mercado. “Essas medidas causam prejuízos incalculáveis. O governo tem feito um esforço extraordinário contra o setor, cercando cada vez mais a atividade. A dificuldade de mercado que estamos vivendo agora é, em parte, consequência das ações do governo”, afirma. “Ainda não chegaram ao ponto de proibir o cigarro, talvez pela importância do setor na arrecadação de tributos”, acrescentou. Em 2013 a cadeia do tabaco injetou R$ 10,7 bilhões nas contas do governo.

Contrabando já representa quase 40% do mercado brasileiro de cigarros, diz Câmara Setorial

Contrabando já representa quase 40% do mercado brasileiro de cigarros, diz Câmara Setorial

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *