Mecanização da lavoura ganha mais força no RS; veja vídeo

Venâncio Aires/RS – A proposta de mecanização da lavoura de tabaco ganha força a cada safra com inovações que prometem uma nova realidade para as lavouras. Equipamentos que, em um passado não muito distante, pareciam improváveis, hoje são testados e aprovados pelos fumicultores. Na localidade de Canto do Cedro, no interior de Venâncio Aires, o agricultor Adelmo Pedro Lucini, de 51 anos, e o filho Fernando, 18, estão sempre receptivos a novas tecnologias que favoreçam os negócios e facilitem a rotina no campo. Na safra 2015/16, participam de um projeto da Philip Morris que visa testar implementos inovadores para a atividade.

A máquina para plantar mudas de tabaco integra o experimento e promete muitas vantagens para a cultura. Segundo Lucini, o mecanismo funciona acoplado em um trator e garante a padronização da área produtiva, como espaçamento e alinhamento perfeitos – considerados fundamentais para que a colheita também seja mecanizada. “É muito fácil de manusear e reduz bastante a mão de obra”, ressalta. Os produtores ainda confirmam o ganho de tempo em relação ao sistema tradicional: são aproximadamente duas horas ao dia de vantagem no plantio.

A família utilizou o aparelho para transplantar 50% dos 80 mil pés que serão implantados no atual ciclo produtivo, com rendimento de 10 mil mudas ao dia. “Em quatro dias, aprontamos a área experimental trabalhando sem correria”, comenta o jovem, que pretende continuar na propriedade e tocar os negócios ao lado do pai. Outro produtor integrado da companhia, Daniel André Muller, também faz parte do projeto compartilhando os equipamentos, que visam analisar os aspectos da mecanização desde o plantio até a colheita. Antes do transplante das mudas, a preparação do solo foi conduzida com um arado aleirador de duas linhas, que já deixa a terra adubada e pronta para receber as mudas.

A expectativa do grupo de produtores é começar a colheita no final de outubro, quando entra em cena a colheitadeira de tabaco, apresentada na última Expoagro Afubra através da parceria entre a italiana Sppaperi e a empresa de tratores Budny. Lucini frisa que, após os primeiros testes no Brasil, agora o equipamento passa pela fase de aprimoramento. O produtor, que há três anos voltou para o interior após abandonar o trabalho como caminhoneiro, está otimista com os avanços conquistados para o campo. “A mecanização é o futuro da fumicultura e garante mais qualidade de vida para quem produz.”

Plantio2

Adelmo e Fernando Lucini testam plantadeira de tabaco no interior de Venâncio Aires (foto: Bruno Pedry)

DE VOLTA ÀS ORIGENS

O agricultor Adelmo Pedro Lucini resolveu abandonar a vida de caminhoneiro e retomar suas origens há três anos. “Quando fiquei sozinho, larguei as estradas para cuidar dos meus filhos Fabíola e Fernando”, conta. Desde que voltou ao interior, aposta na mecanização da propriedade, onde já estão instaladas duas estufas de ar forçado de grampos. Também investe em irrigação, de olho no aumento de produtividade. Na safra 2015/2016, está entusiasmado com a parceria firmada com a Philip Morris para testar a colheitadeira e a transplantadeira multiuso.

Michelle Treichel
michelle@gazetadosul.com.br
FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar
3 Comentários

Adicione um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *