Jovens aprendizes debatem sobre a importância do trabalho em equipe

Santa Cruz do Sul/RS – Aprendizes das sete turmas do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal se reuniram pela primeira vez para um seminário conjunto nessa terça-feira, 26 de junho, em Santa Cruz do Sul. Jovens de Boqueirão do Leão, Candelária, Santa Cruz do Sul, Sinimbu, Vale do Sol, Venâncio Aires e Vera Cruz participaram do seminário junto com educadores e equipe pedagógica do Instituto. O diretor presidente do Instituto, Iro Schünke, abriu a programação que teve como tema A importância do trabalho em equipe para o crescimento pessoal.

O espírito de equipe é essencial em qualquer atividade. Somos apenas peças de uma grande engrenagem e quando entendemos isso passamos a valorizar o trabalho do outro. O próprio Instituto é a prova viva disso. Apesar de ser uma iniciativa do SindiTabaco e suas empresas associadas, todos os resultados que temos obtido nesses três anos de atividades só foram possíveis com o apoio e adesão de pessoas e entidades, públicas e privadas, envolvidas com a educação e com o combate ao trabalho infantil”, reflete.

Segundo a coordenadora do Instituto, Nádia Fengler Solf, o seminário teve como objetivo proporcionar aos jovens uma autoavaliação e reflexão sobre quais as contribuições do jovem para com sua equipe de trabalho. Para isso, dinâmicas e rodas de diálogo foram realizadas com os jovens, que também assistiram à palestra Juntos somos mais fortes e inteligentes que um sozinho, do palestrante Jeferson Cappellari.

Com a palavra, os jovens aprendizes

“O trabalho em equipe foi uma experiência muito marcante. Poder conhecer novos colegas, como eles são, de onde são, expor nossas ideias, foi muito produtivo. Foi um ótimo momento para refletirmos sobre nossa importância e que devemos acreditar em nós mesmos, que tudo começa pela gente. Espero que possamos realizar atividades parecidas no futuro,” avalia Sabrina Andreia Niedermayer, 15 anos, jovem aprendiz de Santa Cruz do Sul.

“Ninguém chega a algum lugar sem uma palavra de incentivo. Como aprendiz eu só tenho a agradecer por essa experiência,” afirma Gilberto da Rosa, 17 anos, jovem aprendiz de Boqueirão do Leão.

“A comunicação nos leva para frente; todos têm algo a contribuir”, reflete Sabrina Porto Correa, 14 anos, jovem aprendiz de Candelária.

SAIBA MAIS – Entre as ações do Instituto, o Programa de Aprendizagem Profissional Rural tem a participação de quase 130 jovens com idades entre 14 e 17 anos. Contratados como aprendizes por indústrias associadas ao Instituto, eles recebem remuneração e certificação de acordo com a Lei de Aprendizagem (Lei 10.097/2000 e Dec. 5598/2005). No entanto, eles não realizam qualquer atividade nas empresas. Toda a carga horária é cumprida no âmbito do curso de formação, tanto na instituição parceira, junto à família, na comunidade, como em viagens pedagógicas e visitas técnicas.

O curso tem duração de um ano, com 4 horas diárias de segunda a sexta-feira, totalizando 920 horas de atividades teóricas e práticas em gestão. No programa das atividades consta o estudo e análise das propriedades rurais, diagnóstico do município e da região com estudos dos arranjos produtivos locais e mapeamento das parcerias locais e alianças estratégicas. Os adolescentes também desenvolvem trabalhos em grupo envolvendo as famílias e a comunidade e estudos de viabilidade de desenvolvimento de produtos de gestão no meio rural.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *