Jovens aprendizes de Vale do Sol são habilitados em gestão rural

Vale do Sol/RS – É possível. Esse foi o recado dos jovens aprendizes na tarde dessa terça-feira, 31 de outubro, em Vale do Sol, quando a quarta turma do piloto do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal recebeu o certificado pela conclusão do curso “Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural”. A solenidade realizada na Câmara de Vereadores formou 19 jovens, entre 15 e 18 anos, e contou com a presença de aproximadamente 140 pessoas, entre familiares, parceiros e autoridades.

Os adolescentes que participaram do programa foram contratados como aprendizes e receberam remuneração e certificação de acordo com a Lei de Aprendizagem (Lei 10.097/2000 e Dec. 5598/2005). Em Vale do Sol, as empresas INTAB, JTI, Philip Morris e Premium Tabacos envolveram-se no processo de contratação, cedendo cotas de aprendizagem. O projeto contou ainda com a parceria da 6ª Coordenadoria Regional de Educação (6ª CRE), que cedeu uma sala de aula, além de laboratório de informática, auditório e biblioteca na Escola Estadual de Ensino Médio Guilherme Fischer; e com o apoio da Secretaria Municipal de Educação de Vale do Sol, que viabilizou o transporte e a alimentação dos participantes.

Allan Fernando Back de Lima e Fabiane Marines Schlittler representaram a turma e agradeceram pela iniciativa do Instituto, em especial ao educador de referência da turma, Adriano Emmel, e às famílias. “Amizades foram construídas e nas rodas de conversas refletimos e discutimos muitos temas. Somos eternos aprendizes e este é só nosso primeiro passo. Nosso agradecimento especial a nossas famílias, que fazem parte desta conquista, tudo só foi possível graças ao apoio de vocês que sempre estavam ali, presentes quando mais precisamos, acordavam cedo para levar nas saídas pedagógicas, participavam das reuniões e nos incentivávamos sempre a continuar”, destacaram.

Segundo o educador de referência, Adriano Emmel, foram muitas as aprendizagens, mas entre as mais relevantes, a valorização da propriedade rural e a cooperação. “No ano passado iniciamos uma caminhada com jovens de diferentes características e um único objetivo: a qualificação. Ao longo desses 13 meses de trabalho, vivemos e compartilhamos muitos momentos, criamos um vínculo. Entre limitações, o que sobressaiu foi o orgulho de ser aprendiz do Instituto. O campo precisa de oportunidades como essa e não esperava que ser educador social fosse ser tão satisfatório”, avaliou Emmel.

O padrinho da turma, o professor e presidente do Conselho Consultivo do Instituto, Nestor Raschen, falou aos jovens sobre a oportunidade. “Não desperdicem esse aprendizado e continuem apostando na gestão da propriedade e da própria vida. Alguns vão continuar no meio rural, outros vão desenhar um novo projeto de vida para si. O importante é lembrar que somos eternos aprendizes e este é somente o começo. Sigam na busca do conhecimento, fazendo o bem para suas famílias e para a comunidade”, disse Raschen.

Segundo Luiz Ricardo Pinho de Moura, coordenador da 6ª CRE, os resultados já são observados. “O programa oportunizou uma verdadeira revolução nas competências dos jovens que tiveram a oportunidade de participar. Eles despertaram o empreendedorismo que às vezes fica escondido dentro do jovem. Deixo nosso reconhecimento e agradecimento ao Instituto. Continuem olhando para os nossos jovens rurais, multiplicando esse aprendizado”, pediu Moura.

O prefeito de Vale do Sol, Maiquel Laureno Silva, parabenizou a iniciativa. “Em diversas oportunidades estivemos reunidos para a troca de experiência e para aprendermos juntos. Meus cumprimentos e parabéns a todos os envolvidos, especialmente ao SindiTabaco por essa incrível iniciativa. Em Vale do Sol nossa área é 96% agrícola e programas como este fazem diferença para os jovens e para o nosso município”, avalia Silva.

O diretor presidente do Instituto Crescer Legal, agradeceu a todos os parceiros envolvidos e que permitiram o sucesso do programa. “Estamos muito felizes com os resultados. O maior ganho para os jovens é a nova visão que eles têm sobre o meio rural, considerando construir seus projetos de vida dentro de suas pequenas propriedades, valorizando o que elas possuem e as parcerias possíveis em seu entorno”, afirmou.

SUPERAÇÃO
Durante a solenidade, depoimentos dos jovens foram citados pelas falas dos oradores. Conheça alguns dos depoimentos de superação:

  • Somos protagonistas de histórias reais e obstáculos precisaram ser superados. – Allan Fernando Back de Lima e Fabiane Marines Schlittler, oradores da turma;
  • Ouvi que não conseguiria, seria difícil caminhar todos os dias 12 km de ida e volta, e a noite estudar, mas eu acreditei que seria capaz, e eu consegui. – Dione Ferreira;
  • Graças ao Instituto Crescer Legal eu voltei para a escola, hoje só tenho a agradecer. – Jonatan Reimann;
  • Pensei em desistir, estava difícil conciliar estudo e trabalho; mas permaneci firme e hoje somos uma família. – Camila Bonnes;
  • No início pensei que seria difícil, por não possuir propriedade, como os demais, mas algumas aulas práticas eram diferenciadas e sempre fiz meu melhor. – Kaynã Vargas.

PRÓXIMA FORTMATURA – A quinta e última turma do piloto continua em andamento em Santa Cruz do Sul, nas dependências da Escola Estadual de Ensino Fundamental Guilherme Simonis, na localidade de Linha Boa Vista, e tem formatura marcada para o dia 07 de dezembro.

SAIBA MAIS SOBRE O CURSO – Os jovens foram selecionados entre as famílias de produtores rurais das localidades com o auxílio dos orientadores e instrutores das empresas associadas ao Instituto Crescer Legal. O curso teve duração de 13 meses, com 4 horas diárias de segunda a sexta-feira, totalizando 920 horas de atividades teóricas e práticas em gestão. Toda a carga horária foi cumprida na instituição parceira, junto à família, na comunidade, em visitas pedagógicas e técnicas. No programa das atividades estiveram o estudo e análise das propriedades rurais, diagnóstico do município e da região com estudos dos arranjos produtivos locais e mapeamento das parcerias locais e alianças estratégicas. Os adolescentes também desenvolveram trabalhos em grupo envolvendo as famílias e a comunidade e concluíram a aprendizagem com estudos de viabilidade de desenvolvimento de produtos de gestão no meio rural.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *