Instituto Crescer Legal apresenta jovens aprendizes rurais de Vale do Sol

Vale do Sol/RS – Com a presença de autoridades, associados, parceiros, familiares e imprensa, o Instituto Crescer Legal apresentou nesta sexta-feira os 20 jovens aprendizes rurais do curso “Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural” de Vale do Sol. O evento foi realizado no Centro Comunitário São José. As atividades da turma se iniciaram no dia 12 de setembro, na Escola Estadual de Ensino Médio Guilherme Fischer que, por meio da parceria com a 6ª Coordenadoria Regional de Educação (6ª CRE), cede uma sala de aula, além de laboratório de informática, auditório e biblioteca. O curso também conta com o apoio da Secretaria Municipal de Educação de Vale do Sol, que viabiliza o transporte e a alimentação dos participantes.

Segundo o educador de referência da turma, Adriano Emmel, o evento tem como objetivo apresentar os jovens para a comunidade e também ser um momento simbólico de entrega dos crachás de Aprendiz em Gestão Rural. O projeto-piloto do Programa de Aprendizagem Profissional Rural é pioneiro e segue os preceitos da Lei da Aprendizagem, oferecendo aos jovens salário proporcional a 20 horas semanais, além de certificação e demais direitos (Lei 10.097/2000 e Dec. 5598/2005). Em Vale do Sol, os jovens são contratados pelas empresas INTAB, JTI, Philip Morris e Premium Tabacos, todas associadas ao Instituto. As atividades, entretanto, são todas realizadas na escola parceira, durante o contraturno.

Conforme Schünke, a escassez de escolas rurais é um grande problema no campo e acaba contribuindo para uma postura cultural de valorização do trabalho, incentivando crianças e adolescentes a atividades inapropriadas para sua idade. “Essa é a primeira vez que jovens do meio rural são contratados pela Lei da Aprendizagem sem sair do campo e da escola. Acreditamos que a gestão é o caminho para que o meio rural se desenvolva, mas precisamos de mais oportunidades para fortalecer as escolas rurais, buscando alternativas para os jovens de até 18 anos”, afirma o diretor presidente do  Instituto Crescer Legal,  Iro Schünke.

O coordenador regional de Educação da 6ª CRE, Luiz Ricardo de Moura, defende que é preciso buscar parcerias para termos uma sociedade mais justa e igualitária. Já o prefeito municipal em exercício de Vale do Sol, João Kist, disse ser um orgulho Vale do Sol receber um programa voltado para a aprendizagem e o empreendedorismo. “Somos parceiros da agricultura familiar e dos nossos jovens. Essa é uma ótima oportunidade para que os jovens possam ver a agricultura com outros olhos, como um negócio. Afinal de contas, o setor primário é dos setores mais importantes”, disse.

SAIBA MAIS – O curso terá duração de 11 meses, com quatro horas diárias de segunda a sexta-feira, totalizando 920 horas. A proposta da formação está voltada para o desenvolvimento de um empreendedor em agricultura polivalente, que planeja e administra unidade de produção. O público-alvo para o projeto-piloto é de adolescentes de 15 a 17 anos, cursando o Ensino Regular e oriundos de famílias de pequenos produtores rurais, em especial produtores de tabaco.

Além de Vale do Sol, Candelária, Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires e Vera Cruz fazem parte do piloto do programa. O grande diferencial é que os adolescentes do Programa de Aprendizagem Profissional Rural possuem contratos como jovens aprendizes e são remunerados para participar das atividades do curso. A contratação dos jovens se dá por meio das cotas das empresas associadas ao Instituto. Apesar de terem vínculo com empresas, toda a carga horária é cumprida na instituição de aprendizagem, no contraturno escolar (tarde).

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *