Fumicultores protestam por melhor remuneração

Venâncio Aires/RS – Centenas de fumicultores protestaram nesta sexta-feira, no Centro de Venâncio Aires, para chamar atenção à atual situação da cadeia produtiva no Sul do Brasil. Eles reclamam da baixa remuneração pelo produto e do aperto na classificação por parte das indústrias.

A mobilização foi promovida pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag), Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul). Após ato na Praça da Bandeira, os agricultores caminharam até as empresas China Brasil e Alliance One.

Segundo a Afubra, decisão judicial impediu que o grupo chegasse a menos de 50 metros dos portões das companhias. No entanto, líderes do movimento montaram uma comissão de representação que visitou China Brasil, Alliance One e CTA, em Venâncio, e Universal Leaf e Premium, em Santa Cruz do Sul. Na pauta a tentativa de reajustar o preço e diminuir o rigor da classificação.

Segundo o presidente da Afubra, Benício Albano Werner, é importante que governos, vereadores, deputados e também as lideranças comerciais se unam para auxiliar os fumicultores. “Eles podem e devem enviar correspondências para todas as empresas, mostrando o que o tabaco representa para os municípios e para o comércio. As empresas estarão com estas correspondências e poderão mostrar aos seus clientes a situação difícil que vive o nosso produtor, já que as fumageiras alegam que os clientes estão pedindo descontos”, destaca Werner.

O presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva, revelou que foi acertado, com as empresas, prazo de 20 dias para que os preços pagos ao produtor sejam revistos. “Se isto não acontecer, no início de maio estaremos aqui novamente. E não somente na frente destas duas empresas. Faremos um movimento maior”, garantiu.

Produtores fizeram assembleia na praça central e depois caminharam até duas empresas (foto: Luciana Jost Radtke/divulgação)

Produtores fizeram assembleia na praça central e depois caminharam até duas empresas (foto: Luciana Jost Radtke/divulgação)

NOVA SAFRA

Durante as visitas às empresas, os representantes dos produtores acertaram que na última semana de abril voltam a se reunir para debater a nova safra de tabaco. “Não podemos, mais uma vez, deixar o fumicultor produzir o tabaco e depois ter dificuldade de comercializar. Queremos que as empresas nos digam antes do plantio da safra 2015/16 qual será a demanda para que juntos possamos orientar o fumicultor, pelo bem da sustentabilidade do setor”, defendeu Werner.

Assessoria de Comunicação da Afubra
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *