Força Feminina no Campo integra mulheres rurais

Região Sul – Disseminar boas práticas na propriedade e na lavoura e trocar experiências com as mulheres é o objetivo do projeto Força Feminina no Campo, uma atividade da Japan Tobacco International (JTI) realizada nos três estados da Região Sul. Os primeiros encontros aconteceram no início de outubro, em Descanso (SC) e São Lourenço do Sul (RS), reunindo 170 produtoras.  Conforme a coordenadora da iniciativa em Santa Cruz do Sul, Danieli Schaurich, as mulheres exercem um papel muito importante no campo e estão envolvidas no planejamento, plantio, colheita, cura,  classificação e na comercialização do tabaco.

Cada vez mais elas têm assumido um papel importante, acolhendo como ninguém a causa da sustentabilidade e os cuidados para a continuidade do negócio. A mulher no campo combina a força do seu trabalho com a delicadeza. Ela sabe o que faz e como deve ser feito, sabe conduzir a família e a propriedade para atingir os resultados, além disso, atua sempre colocando amor em tudo o que faz”, justifica.

A produtora Eliani Gonçalves da Fontoura, do município de Passa Sete, conta que a cada safra que passa o conhecimento aumenta. “O projeto nos ajuda bastante. Muitas coisas que não sabíamos nós vamos aprendendo e colocando em prática na lavoura, como o tratamento das mudas e a correção do solo”, relata. A produtora conta que o segredo para tudo dar certo é adquirir sabedoria, ter pensamento positivo e, principalmente, fazer tudo com muito amor: “tem que gostar do que se faz.”

Apoio técnico

Dentro do projeto Força Feminina no Campo há técnicas agrícolas mulheres que se envolvem na orientação das produtoras no campo. De acordo com Daniela da Silva Matte, as participantes aprovam as atividades e pedem para que o evento se repita, pois é o momento delas aprenderem. “Elas perguntam, participam, tiram dúvidas e dão ideias. Depois de aprenderem, passam a introduzir os conhecimentos em suas propriedades e isso é o mais importante”, comenta a técnica agrícola.

Outros encontros estão previstos ainda para 2018. Ao todo, cerca de 920 mulheres devem participar da proposta que ocorre de forma dinâmica, com assuntos divididos e apresentados em estandes. Entre os principais temas estão a produção de mudas manejo e conservação do solo, fertilização, desponte, colheita, cura, integridade, classificação e comercialização de tabaco. Além dos aspectos agronômicos, são abordados também assuntos referentes à saúde e segurança e sucessão rural.

Cronograma

  • 23/10: Herveiras (RS)
  • 25/10: Jaguari (RS)
  • 7/11: Arvorezinha (RS)
  • 8/11: Passa Sete (RS)
  • 14/11: Candelária (RS)
  • 27/11: Canoinhas (SC)
  • 28/11: São Mateus do Sul (PR)
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *