Foi parar na Justiça

Santa Cruz do Sul/RS – A Souza Cruz ingressou com uma ação na Justiça em que pede o fim das mensagens obrigatórias de advertência estampadas na parte frontal das embalagens de cigarro. A regra, que entrou em vigor há um ano, é considerada essencial por especialistas em controle do tabagismo para tornar o produto menos atraente para os jovens e para motivar os fumantes a procurarem ajuda para tratar a dependência.

Na ação, a empresa argumenta que as advertências já estão presentes na parte posterior e nas laterais da embalagem, que a sociedade brasileira já está consciente sobre os riscos do cigarro e que nenhuma outra indústria nacional sofre imposições tão pesadas. A Souza Cruz afirma que as mensagens diminuem o espaço destinado à identificação do produto, aumentando a confusão em relação aos produtos falsificados.

A ação coincide com a abertura de uma consulta pública, pela Anvisa, para modificar as imagens e frases usadas como advertência nos maços. Por razões contratuais, as imagens precisam ser trocadas até o próximo ano. Informações: Jornal Gazeta do Sul desta quarta-feira, dia 3 de maio.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *