Fechamento de unidade em Santa Cruz preocupa setor do tabaco

Santa Cruz do Sul/RS – A notícia de que a Unidade de Vigilância Agropecuária (Uvagro) de Santa Cruz do Sul deixará de existir surpreendeu o setor tabagista no final da semana passada. O órgão, vinculado ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), era responsável por inspecionar o tabaco produzido na região e emitir os certificados fitossanitários exigidos para a exportação do produto, agilizando o embarque nos portos.

De acordo com o auditor fiscal e chefe da unidade extinta, Alan Cristiano Erig, a Uvagro atendia atualmente 30 empresas do Vale do Rio Pardo e Taquari. “Com esse serviço o embarque ficava muito mais fácil, pois o produto já saía com essa autorização e não era necessário enfrentar nenhuma fila ou burocracia no porto”, contou. A notícia de que o órgão cessaria sua operação foi divulgada no Diário Oficial da União na última quinta-feira, quando também foi anunciado o fim das Uvagros de Caxias do Sul e de Porto Mauá. Santa Cruz do Sul e Caxias, contudo, devem ganhar Unidades Técnicas Regionais de Agricultura (Utra).

Enquanto a Uvagro só faz o trabalho de importação e exportação, a Utra pode fazer fiscalização em outras áreas, e pode cuidar das questões de exportação e importação mediante uma autorização federal”, explicou. A criação das Utras agora depende de uma nova publicação sobre o tema no Diário Oficial. “O correto seria essa publicação ter saído junto com aquela que pôs fim às Uvagros, pois iria evitar o mal-estar e a preocupação que foi gerada, mas acho que ela deve sair já na semana que vem”, comentou Erig.

Até a criação da Utra, a emissão dos certificados fitossanitários está suspensa em Santa Cruz, situação que preocupa o setor do tabaco. “Fomos pegos de surpresa, na véspera de um feriado, e agora temos embarques e documentos que precisam ser liberados para a semana que vem, que não sabemos como vai ficar”, contou o presidente do Sinditabaco, Iro Schünke.

O volume de embarques realizados em 2018, conforme Schünke, já supera o mesmo período do ano passado. “Cerca de 350 mil toneladas foram exportadas em 2017 por Rio Grande e destas uma boa parte foi inspecionada em Santa Cruz do Sul. Se não for mais possível ter a Uvagro, tudo terá que ser feito no porto e isso, com certeza, será um problema para as empresas, pois se tinha um serviço que funcionava muito bem aqui”, comentou Schünke.

Prefeitura também foi surpreendida

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo de Santa Cruz do Sul, César Cechinato, o Município também foi pego de surpresa com a extinção da Uvagro. Cechinato destacou que o tabaco é o segundo produto na pauta das exportações gaúchas, e que a dificuldade gerada pelo fim da confecção dos certificados fitossanitários em Santa Cruz é contraproducente, já que a emissão desses documentos nos portos vai concorrer em agilidade com outros produtos. “Todos foram colhidos de surpresa, mas envidaremos esforços com toda a cadeia produtiva para que a medida seja revertida”, afirmou.

Texto: FERNANDA SZCZECINSKI, Jornal Gazeta do Sul

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *