EXCESSO DE UMIDADE DEIXA PRODUTOR EM ALERTA NO RS

Santa Cruz do Sul/RS – Os produtores de tabaco do Rio Grande do Sul estão atentos ao clima excessivamente úmido deste início de ano. O receio é que as arrobas estocadas nos galpões comecem a perder qualidade ou até mofar. Além disso, o ataque de insetos também preocupa. Agricultores das regiões Central e Vale do Rio Pardo já relatam perdas.

Produtor Cleomar Wrasse, de Paraíso do Sul (RS), relata prejuízos com ataque de insetos

Produtor Cleomar Wrasse, de Paraíso do Sul (RS), relata prejuízos com ataque de insetos

Benício Werner, presidente da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), diz que é preciso redobrar o cuidado com a estocagem do tabaco quando o clima está quente e úmido. “O fumo que não está bem protegido pode estragar com facilidade. A dica é ter bastante cuidado, conferir sempre as condições do galpão e do fumo em si. Se umedecer e pegar calor é prejuízo certo”, frisou.

Em entrevista à Rádio Gazeta AM, Werner reforçou que o produtor precisa evitar uma segunda rodada de perdas na atual safra. A primeira foi causada pelo excesso de chuvas e granizadas desde o mês de setembro. “Tivemos perdas expressivas na lavoura e não podemos deixar que isso aconteça também no galpão”, destacou. Estimativa da Afubra aponta que a safra poderá ter quebra de quase 20%.

Igor Müller, com informações da Rádio Gazeta AM
igor@editoragazeta.com.br

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *