Evento marca abertura da colheita do tabaco em Venâncio Aires

Texto: Redação Portal Gaz. Acesse a confira um vídeo sobre o evento (cliquei aqui). 

Venâncio Aires/RS – Uma propriedade no interior de Venâncio Aires recebeu na tarde da última sexta-feira, dia 27, o lançamento da Abertura da Colheita do Tabaco. A solenidade foi realizada em Estância Nova e contou com a participação do governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, do secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, do presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (Sinditabaco), Iro Schünke, do presidente da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Benício Albano Werner, entre outras autoridades ligadas ao setor no Estado.

O evento iniciou por volta das 15h15. A família proprietária da área que sediou a abertura recebeu cestas por ceder o espaço. Em nome da cadeia produtiva do tabaco, Sartori e Polo receberam placas de agradecimento. Nogueira citou, durante a cerimônia, a atuação de deputados federais da região que defendem o setor do tabaco no Brasil. O ministro comentou que a defesa da cadeia ultrapassa aspectos técnicos, alvo frequente de críticas. “O mais difícil de ser enfrentado é quando as barreiras ideológicas se manifestam e se escondem nos conselhos e órgãos, se utilizando de uma fala que parece politicamente correta, mas na verdade não condiz com o que acontece na sociedade”, disse.

Depois de saudar as autoridades presentes, Sartori também comentou sobre a defesa do setor em Brasília. O governador do Rio Grande do Sul falou da crise financeira que atinge o País nos últimos anos e lembrou que os pequenos produtores também são responsáveis por gerar receita ao Estado. Sartori comparou a necessidade e as dificuldades para mudança na área rural, com a inclusão de novas tecnologias, com a situação do governo gaúcho, que tem anunciado medidas que geram repercussão negativa. O chefe do Executivo ainda fez referência à necessidade dos agricultores de manter seus filhos no trabalho do campo. Ele ainda mencionou o desafio do Estado de resgatar o equilíbrio das contas públicas e os parcelamentos de salários. “A gente não pode dar aquilo que não se tem”, afirmou.

Após a cerimônia de abertura, os convidados se dirigiram até a lavoura de tabaco, onde Sartori fez a tradicional colheita do produto, assim como ocorre com outras culturas no Estado. O evento terminou por volta das 17 horas. Em parceria, a secretaria da Agricultura, a Afubra e o Sinditabaco criaram a Abertura da Colheita do Tabaco, evento que promete ser anual. A Prefeitura de Venâncio Aires também trabalhou para a realização do evento. Para o presidente do Sinditabaco, Iro Schünke, a data – que este ano é próxima ao dia do produtor, comemorado no sábado – ajuda a elevar a autoestima no campo. “Estas datas são marcos importantes, para homenagear estes homens e mulheres que lutam diariamente pelo seu sustento. São momentos que resgatam o orgulho do produtor”.

O presidente da Afubra, Benício Werner, conta que a celebração da abertura da colheita do tabaco é tão grandiosa quanto os bilhões de reais injetados anualmente na economia. “Todas as outras culturas já tinham um dia para dar início à colheita. O nosso agora chegou. Estamos felizes e somos gratos ao governo do Estado”. Em seu discurso, Benício falou da renda aferida pelo tabaco às pequenas propriedades rurais. O prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert, acredita que o evento será representativo, sobretudo, para a economia do tabaco, que responde por quase R$ 14 bilhões em impostos arrecadados por ano no País. “Este momento é mais do que apenas celebrar o início da colheita; é de reafirmar o que o tabaco representa para os nossos produtores”, diz.

Valorização do trabalho

Desde que se conhece por gente, o produtor de tabaco Antônio Alcir Coutinho, 49 anos, planta para viver. Em Estância Nova, no interior de Venâncio Aires e ao lado da esposa Sílvia, ele ergueu com muito sacrifício a propriedade que hoje recebeu a cerimônia de lançamento da Abertura da Colheita do Tabaco. O produto que é o carro-chefe das terras da família também é motivo de orgulho para Coutinho, que sobe o tom para defender a atividade. “Eu fico muito feliz com a realização deste evento. O Estado está valorizando o nosso trabalho, que tanto rende imposto para o governo”, desabafa.

Antônio e Sílvia: rotina alterada para preparar a propriedade

Share
1 comentário

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *