Editora Gazeta lança Anuário Brasileiro do Tabaco 2015

Santa Cruz do Sul/RS – A Editora Gazeta lança nesta sexta-feira o Anuário Brasileiro do Tabaco 2015. A consolidada publicação, há 18 anos no mercado editorial, será apresentada a autoridades e lideranças a partir das 11h30, durante almoço para convidados no restaurante do Hotel Águas Claras, em Santa Cruz do Sul.

A edição possui 128 páginas, com textos em português e inglês, e reafirma a importância da cadeia produtiva do tabaco para a economia da Região Sul do País, com números atualizados e fotos que traduzem cada etapa de produção. A publicação traz informações sobre todos os procedimentos, desde o trabalho na lavoura, passando pelas negociações e também pelo beneficiamento do tabaco nas indústrias. Questões ligadas à sustentabilidade e à sucessão rural igualmente são abordadas.

Um capítulo da publicação é dedicado a problema que gera perdas bilionárias ao Brasil todos os anos: o contrabando de cigarros, cujas mazelas também foram expostas na série “Caminhos do Contrabando”, publicado pela Gazeta do Sul. O editor Romar Beling explica que o conteúdo de cada edição costuma orientar-se por um tema central. Neste ano, além das ameaças advindas do contrabando, serviram de fio condutor o Instituto Crescer Legal e suas ações, que visam oferecer subsídios para que o jovem permaneça no campo, com oportunidades de profissionalização e sem se envolver em atividades não permitidas para sua idade.

O Anuário Brasileiro do Tabaco 2015 traz relatos de produtores rurais que puderam diversificar suas propriedades graças à renda obtida por meio da fumicultura. “O tabaco é praticamente imbatível como gerador de renda na pequena propriedade. É inclusive o recurso advindo dele que permite à maioria das famílias investirem na diversificação. Em quase todas as propriedades, o tabaco é só mais uma fonte de renda, e quase sempre o que ocupa a menor área. No entanto, é ele quem garante o sustento de todos”, explica Beling. Ele salienta ainda a forte demanda internacional, tendo em visto que mais de 85% do tabaco produzido no Sul do Brasil é exportado.

Conforme Beling, a publicação que será apresentada hoje reafirma a importância do setor para todo o Brasil. “O Anuário há 18 anos dá ampla visibilidade nacional e internacional ao tabaco. É oportunidade para mostrar quanto o segmento é estratégico para a socioeconomia, apesar das campanhas contrárias. É uma cadeia produtiva legítima, formal, que gera renda e emprego e deve ser respeitada”, ressalta. “É nada menos que um orgulho ajudar a divulgar seus inegáveis méritos.”

Marília Gehrke/Gazeta do Sul

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *