Diversificação rentável para a lavoura é tema de dia de campo

Santa Cruz do Sul/RS – Enquanto o processamento de tabaco avança nas indústrias, uma nova colheita rentável começa na lavoura dos produtores.  Esse é o objetivo do Programa Milho, Feijão e Pastagens Após a Colheita do Tabaco, que incentiva a diversificação e a otimização no aproveitamento dos recursos das propriedades rurais. Conduzida pelo SindiTabaco, a ação está em andamento desde 1985 e reúne a estrutura de campo das empresas associadas e das entidades apoiadoras para incentivar os produtores a diversificar suas atividades. São parceiros os governos dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, além de entidades ligadas aos produtores e à agricultura, como a Afubra, as Federações de Agricultura e Federações de Trabalhadores em Agricultura dos três Estados sulinos.

Para marcar o início da colheita da safrinha e divulgar resultados do programa, dias de campo foram agendados nos três Estados do Sul. No Rio Grande do Sul, acontece no dia 26 de abril, em Rio Pardo, na propriedade de André Dupont, na localidade de João Rodrigues. No Paraná, o encontro será em Imbituva, na localidade de Mato Branco, no dia 3 de maio, na propriedade de José Sirlei Dias de Araújo. E em Santa Catarina, o produtor Everaldo de Souza, de Agronômica (localidade de Alto Gropp) abre sua residência no dia 4 de maio.

Os eventos se iniciam às 10h30 com a participação de parceiros do programa, produtores e empresas associadas, bem como da imprensa. “O programa tem trazido receita relevante para os produtores de tabaco. A expectativa para 2017 é positiva, considerando que teremos um incremento de renda com a adesão também da pastagem ao programa”, afirma Iro Schünke, presidente do SindiTabaco. Além da colheita demonstrativa, serão também divulgados os números do programa durante o evento.

Pesquisa recente realizada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) demonstrou que 79% dos produtores fazem a rotação e/ou sucessão de culturas para reduzir a proliferação de pragas, doenças e ervas daninhas e que cerca de 50% garante renda com outros produtos além do tabaco, aumentando significativamente a sua renda. Outra grande vantagem da diversificação é a otimização dos recursos das propriedades rurais e reduz os custos de produção dos grãos e pastagens, pois ocorre o aproveitamento residual dos fertilizantes aplicados. Consequentemente, pode haver redução de custo na produção de proteína (carne, leite e ovos).

PONTO POSITIVO – Além dos aspectos de interesse econômico, a diversificação permite o incremento dos requisitos de preservação e proteção ambiental, por meio da utilização de sistemas de cultivo que protegem o solo. Os cultivos de cobertura garantem maior proteção ao solo, tanto em suas características físico-químicas, quanto em seus aspectos biológicos. Além disso, os produtores conseguem reduzir as demandas de mão de obra, devido à menor necessidade de intervenção na sua camada arável, como ocorre no sistema convencional de cultivo. No sistema de cultivo mínimo, por exemplo, a mobilização do solo é mínima, restringindo-se apenas aos espaços destinados às linhas de plantio. A maior parte da área permanece protegida pelos resíduos da cultura anterior ou pela biomassa resultante dos cultivos de cobertura, com o objetivo de diminuir os riscos de erosão.

TABACO – Produto de inquestionável importância no agronegócio brasileiro, o tabaco, além de manter o homem no campo com qualidade de vida, é a principal fonte de receita para centenas de municípios. Em muitos destes, é a mola propulsora do desenvolvimento. Atualmente, a cultura do tabaco está presente em 574 municípios do sul do Brasil, envolve mais de 144 mil famílias de agricultores, 576 mil pessoas no meio rural. Ao deixar a casa do produtor, o tabaco passa por um processo de beneficiamento que envolve cerca de 40 mil pessoas em indústrias altamente qualificadas, localizadas em sua maioria na região do Vale do Rio Pardo (RS). Historicamente, cerca de 90% da produção é exportada para 90 países, colocando o Brasil na primeira posição do ranking mundial de exportação desde 1993. Saiba mais AQUI.

Screen Shot 2017-04-19 at 15.01.18459

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *