Dia do Produtor de Tabaco: gente nova no campo

O Jornal Gazeta do Sul publicou na edição do último fim de semana um caderno especial sobre o Dia do Produtor de Tabaco, com edição de Dejair Machado. Confira, abaixo, o texto de apresentação do caderno. Nos próximos dias, veja as demais reportagens. 

A produção de tabaco faz parte da história de boa parte das famílias do Vale do Rio Pardo. Tradicionalmente foi graças à planta que muitas delas conseguiram construir casas, ampliar suas áreas de terra e assegurar a educação dos filhos.

Com o passar dos anos e diante dos desafios da agricultura, contudo, muitos jovens tomaram o  rumo da cidade em busca de trabalho e oportunidades. Hoje, embora este movimento ainda aconteça, tem aumentado a quantidade de homens e mulheres que optam por suceder os pais na atividade. A partir de incentivos recebidos por meio de programas educacionais e de ações desenvolvidas pelas empresas e entidades ligadas ao setor, estes novos agricultores demonstram uma vocação empreendedora e um olhar mais atento a aspectos como tecnologias e planejamento das propriedades.

Graças a este perfil e também às lições repassadas pelos pais ou avós, estes produtores têm se destacado no meio rural. Cientes de seu papel, eles investem em tecnologias para auxiliar na produção, adotam novas técnicas de manejo difundidas pelas empresas e buscam conhecimento que se reverte em qualidade e produtividade.

A data

O Dia do Produtor de Tabaco foi definido na assembleia da Associação Internacional dos Produtores de Tabaco (Itga), em outubro de 2012. A escolha do dia deve-se à história. Em 1492, Cristóvão Colombo navega em direção às Américas e no dia 28 de outubro, dois tripulantes da embarcação visitaram o interior do que viria a ser a ilha de Cuba. Eles teriam encontrado nativos e testemunhado um ritual em que a fumaça de folhas queimadas era inalada através de um tubo. Assim aconteceu a apresentação das folhas conhecidas pelos nativos como Cohiba e que mais tarde seria chamada de tabaco.

No Rio Grande do Sul o Dia do Produtor de Tabaco foi instituído por meio da lei 14.208/2013. De autoria do hoje deputado federal Heitor Schuch (PSB), a matéria atendeu uma solicitação das entidades do setor, como a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Federação dos Trabalhadores Rurais (Fetag/RS) e a Federação da Agricultura (Farsul), com o objetivo de respaldar e valorizar o trabalho do produtor de fumo.

Na época, o santa-cruzense e então deputado estadual disse que a data fora instituída como forma de preencher uma lacuna existente no calendário gaúcho. Ele destacou ainda a importância de um dia como estes para debates, comemorações e reflexão acerca dos rumos da atividade fumageira.

No Brasil, as primeiras comemorações ocorreram em 2013, em Santa Cruz do Sul e reuniram 1,5 mil pessoas. Depois as atividades foram realizadas em outros polos produtores. Neste ano, as celebrações serão realizadas em Canguçu, no Sul do Estado em dezembro.

Venâncio Aires, um dos maiores produtores do Vale do Rio Pado também terá uma programação especial alusiva à data. Será na próxima terça-feira, dia 31, com a primeira edição do Encontro Técnico em Comemoração ao Dia do Produtor de Tabaco. A programação contará com palestras e confraternização entre os participantes.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *