Devolução de embalagens vazias de agrotóxicos reinicia no RS

Vale do Rio Pardo/RS – Depois de percorrer municípios catarinenses, o Programa de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos, desenvolvido pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), reinicia no dia 25 de junho a coleta das embalagens tríplice lavadas na região central do Rio Grande do Sul. Até o dia 24 de setembro, produtores de 54 municípios poderão realizar o descarte de forma prática e segura, iniciando por municípios da região do Vale do Rio Pardo:

  • Santa Cruz do Sul – 25/6 a 2/7
  • Vera Cruz – 3 a 5/7
  • Passo do Sobrado – 9 a 10/7
  • Rio Pardo – 11 a 12/7
  • Vale do Sol – 16 a 17/7
  • Vale Verde – 18/7
  • General Câmara – 18/7
  • Candelária – 19 a 31/7
  • Venâncio Aires – 31/7 a 14/8

O setor do tabaco foi pioneiro no descarte correto das embalagens vazias. Sejam aquelas utilizadas para o tabaco ou para outras culturas, o produtor conta há 17 anos com um sistema itinerante de devolução, com hora marcada e próximo da propriedade rural. “O número de embalagens recolhidas pelo programa do setor pode dar a impressão de que utilizamos muito agrotóxicos, quando na verdade pesquisas apontam que o tabaco é produto comercial agrícola que menos utiliza agrotóxicos”, destaca o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke.

FATOS SOBRE O PROGRAMA

  1. Criado no ano 2000, o programa antecedeu a legislação de 2002 que determina a devolução das embalagens às suas respectivas origens;
  2. Atualmente, o programa percorre cerca de 2,6 mil pontos da zona rural, em oito regiões do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No Paraná, iniciativas semelhantes realizadas pelas centrais locais são apoiadas pelas empresas associadas ao SindiTabaco;
  3. A coleta itinerante beneficia um universo de 120 mil produtores de tabaco gaúchos e catarinenses que, com comodidade e segurança, podem realizar a devolução dos recipientes tríplice lavados em pontos próximos de suas propriedades;
  4. O programa itinerante já retirou quase 15 milhões de embalagens do campo em seus 17 anos de atuação, destinando-as para centrais de recebimento e triagem credenciadas pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV);
  5. Quem adere ao programa e entrega as embalagens tríplices lavadas, ganha recibos – fundamentais para apresentação aos órgãos de fiscalização ambiental.
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *