Dada a largada para a edição 2019 do Programa de Aprendizagem Profissional Rural

Santa Cruz do Sul/RS – Nesta semana começaram as atividades do curso “Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural” do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal. São sete novas turmas, das quais estão participando cerca de 140 filhos de produtores e trabalhadores rurais. Os jovens são contratados conforme a Lei da Aprendizagem para participarem da formação, que é oferecida em locais próximos das localidades onde vivem com suas famílias.

No dia 6 de março foi dada a largada para as atividades em Boqueirão do Leão, com turma na Escola Municipal Marino da Silva Gravina, em Alto Boqueirão; Herveiras, na Escola Municipal General Osório, localidade de Herval São João; Passo do Sobrado, na Secretaria Municipal de Educação; Sinimbu, na Escola Municipal Nossa Senhora da Glória; Vale do Sol, na Escola Municipal Felipe dos Santos, em Rio Pardense; e em Vera Cruz, na Escola Estadual Walter Dreyer, em Vila Ferraz. Já no dia 7, foram recebidos os jovens aprendizes de Cerro Branco, com atividades na Escola Municipal Augusto Schütz, na localidade de Arroio Bonito.

Esta é a terceira edição do curso, que já é exemplo pelo pioneirismo de aplicar a Lei da Aprendizagem em favor dos jovens rurais. Conforme o diretor presidente do Instituto Crescer Legal, Iro Schünke, os adolescentes são contratados como aprendizes pelas empresas de tabaco associadas ao Instituto. “Assim, recebem vantagens como salário proporcional a 20 horas semanais, além de acesso via transporte escolar dos municípios parceiros, alimentação na escola, material didático, uniforme e certificação como gestores rurais”, explica. No entanto, nenhum trabalho é realizado na empresa, pois todas as atividades teóricas e práticas são conduzidas pelo Instituto, seja presencialmente no espaço de formação, ou em atividades de pesquisa, vivências técnicas e comunitárias. “Investimos nos adolescentes rurais para que tenham oportunidade de construir seu futuro e fiquem longe das práticas de trabalho infantil”, completa o executivo.

E a coordenadora do Instituto, Nádia Fengler Solf, acrescenta que o Programa de Aprendizagem é implementado de forma articulada com a família, a escola e a comunidade do aprendiz, de forma que os jovens reconheçam sua identidade e se sintam integrados às suas comunidades e ao mundo. “Contamos com parceiros locais e regionais que possuem papel fundamental na oferta de espaço físico, alimentação e logística de transporte, firmando termos de parceria e colaboração com os municípios”, diz, referindo-se às prefeituras, através das Secretarias Municipais de Educação, e ao Estado, pela 6ª Coordenadoria Regional de Educação. Esta é a terceira edição do curso do Programa de Aprendizagem. As cinco primeiras turmas iniciaram as atividades em 2016 concluíram o curso em 2017 (84 formandos). E em 2018, 120 adolescentes de sete turmas receberam seus certificados.

FORMAÇÃO CONTINUADA – Com projeto pedagógico criado especialmente para o Programa de Aprendizagem Profissional Rural, há capacitação permanente dos educadores. Em janeiro e fevereiro, houve treinamentos com consultores externos e encontros de planejamento, com atualização direcionada aos temas dos cinco eixos curriculares: estudo e análise das propriedades rurais; diagnóstico do município e da região com estudo dos arranjos produtivos locais; mapeamento de parcerias e alianças estratégicas; desenvolvimento de trabalhos em grupo envolvendo as famílias e a comunidade; e criação e estudo de viabilidade de um produto.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *