Conservação do solo e da água pauta encontro em Arvorezinha

Arvorezinha/RS – Arvorezinha foi sede do Seminário Regional de Conservação do Solo e da Água, promovido pela comissão organizadora das atividades e discussões do Programa Microbacias. O evento realizado no Auditório Domingos Dorigoni, no dia 10 de junho, reuniu cerca de 250 pessoas, entre produtores, lideranças, autoridades, profissionais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), técnicos de cooperativas, além de empresas e entidades parceiras.

A Comissão Organizadora das Atividades e Discussões da Microbacia Monitorada de Arvorezinha, na localidade de Candido Brum, é composta por instituições de pesquisa, como a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (Sinditabaco); pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e pela Emater/RS-Ascar, com apoio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi/RS), da Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS), do Comitê Taquari-Antas e da Prefeitura de Arvorezinha.

Durante o seminário, foram discutidos os aspectos e procedimentos de manejo que provocam erosão dos solos, perdas de água, fertilizantes, sedimentos, matéria orgânica e agrotóxicos, causando problemas ambientais e reduzindo a produtividade agrícola e diminuindo a renda das famílias. A ação também teve como objetivo construir e propor um plano de ação comum, uma campanha permanente de conservação do solo e água para toda a região com o intuito de mobilizar as entidades, empresas e poder público a encontrar o seu papel na conservação do solo e da água no âmbito de sua atuação.

Na parte da manhã, desenvolveu-se a parte teórica e à tarde a parte prática de campo, por meio de demonstrações concentradas em quatro diferentes estações da microbacia. O assessor técnico do Sinditabaco, Darci José da Silva, falou aos presentes durante a programação sobre as contribuições do setor para as atividades de pesquisa na referida Microbacia Hidrográfica, por meio da manutenção e suporte financeiro dos convênios com as UFSM e UFRGS. Destacou, ainda, o retorno da Emater à parceria, o que significa importante contribuição aos direcionamentos e ações de assistência técnica e extensão rural associado ao programa.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *