Coluna Por Dentro da Safra

Por Giovane Luiz Weber – Produtor de tabaco

Onde tudo começa

Na estreia do projeto Por Dentro da Safra, na semana passada, escrevi aqui sobre o canteiro de mudas, que é onde a safra de tabaco realmente começa. Hoje quero comentar um pouco mais sobre essa importante etapa da produção. Qualquer erro mais sério na preparação ou na conservação dos canteiros pode comprometer o resultado lá na esteira da indústria, ou seja, pode representar algum prejuízo. A boa safra começa com canteiros bem cuidados.

No lugar certo

O canteiro é uma das etapas de produção que vêm se modernizando graças às pesquisas das indústrias e aos conhecimentos que o colono vai adquirindo ao longo do tempo. Muito agricultor já está adotando, por exemplo, o uso de brita ao redor dos canteiros, o que ajuda a manter a área mais limpa e organizada. Isso representa mais praticidade também, uma vez que durante cerca de três meses temos que dar atenção diária às mudas. Elas precisam ficar em um local estratégico na propriedade, protegidas do vento e com boa insolação. Também não pode ser um local tão úmido a ponto de alagar em caso de chuva forte. Aí é problema na certa.

É uma engenharia

Costumo brincar que todo produtor de tabaco precisa ser um pouco pedreiro e engenheiro também. É que, embora seja relativamente simples, fazer um canteiro requer atenção aos detalhes, como o nivelamento da área e proteção para o que chamamos de piscina, que é onde ficam as bandejas com as mudas.

O problema da umidade

Frio e umidade em excesso são problemas sérios para as mudas de tabaco, que é uma planta de sol. Em períodos com pouco sol, como os primeiros dez dias do mês, é preciso redobrar a atenção e os tratamentos preventivos. Não podemos deixar a planta pestear, como se diz na colônia. Quando isso acontece, é quase impossível recuperar a muda.

Difícil para as verduras

A falta de sol nos deixa em alerta não apenas por conta das mudas de tabaco, mas também pelas verduras que produzimos em nossas propriedades. Algumas folhosas já apodreceram aqui por conta da sequência de dias com excesso de umidade. Mas não é nada que não seja possível recuperar logo ali na frente.

Na reta final

É nesse clima de chuva e neblina que nos encaminhamos para as últimas semanas dos canteiros de mudas aqui na propriedade, iniciados em maio. Nos próximos dias faço a terceira poda das mudas, a última antes do transplante para a lavoura. Se o tempo ajudar, pretendo fazer isso na virada do mês. Mas aí é assunto para as próximas colunas. Hoje, ao longo do dia, você pode assistir a um vídeo onde mostro como foi a preparação dos canteiros. Estará em gaz.com.br e na página Fumicultores do Brasil. Boa semana!

Assista ao vídeo (clique aqui). 

Oferecimento: Afubra, Philip Morris Brasil (PMB) e Sicredi. 

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *