Cavalo de lata entra na rotina da Philip Morris em Santa Cruz

Texto: Natany Borges, Jornal Gazeta do Sul

Santa Cruz do Sul/RS – Faz três meses que o projeto Cavalo de Lata se adapta muito bem à rotina da unidade da Philip Morris em Santa Cruz do Sul. Todos os dias o carrinho elétrico atua no recolhimento e transporte de resíduos sólidos da empresa de tabaco e auxilia no fazer diário dos funcionários. Enquanto antes uma picape ficava responsável pelo serviço, agora é um veículo limpo e sem emissão de poluentes que cumpre o mesmo papel.

Conforme o diretor de Operações da Philip Morris Brasil, Alejandro Okroglic, a incorporação do equipamento – um projeto encabeçado pelo casal santa-cruzense Ana Paula Knak e Jaison Duani Vargas – ocorreu com o objetivo de reduzir o impacto no meio ambiente e chamar atenção para uma ação com potencial de beneficiar milhares de pessoas em todo o Brasil. “Conhecemos o projeto por meio de reportagens e de uma apresentação na Universidade de Santa Cruz do Sul, em setembro de 2017. Imediatamente fizemos os contatos para trazer a ideia para dentro de nossas operações”, conta.

Para tirar a ideia do papel, o equipamento, conforme Okroglic, passou por um trabalho de adaptação no departamento de engenharia da empresa a fim de que pudesse ser utilizado também em outras áreas industriais. Nada que tenha feito a dupla responsável pelo projeto manifestar contrariedade. “Servir de maneira eficiente a uma empresa desse porte é uma honra, pois eles sabem da importância desse projeto, que pode ser replicado para qualquer comunidade. É uma luta, uma jornada em favor da sustentabilidade”, diz Jaison Duani Vargas, que é engenheiro de produção.

Os reflexos dessa aposta, garante Alejandro Okroglic, já são sentidos. Tanto que os representantes da Philip Morris já recomendam o projeto para outras companhias e, inclusive, indicam para eventos, como foi o caso da Expoagro Afubra e da Oktoberfest. “Fazemos isso em razão dos benefícios que a ONG traz para a sociedade e dos ganhos potenciais que o equipamento pode proporcionar para as empresas que o utilizarem”, explica Okroglic.

Desenvolvido em 2012, o projeto Cavalo de Lata surgiu com o objetivo de mostrar que é possível trabalhar com reciclagem, dispensando o envolvimento dos animais nessa atividade.  “A ideia, desde o início, foi substituir o cavalo e a carroça, sem prejudicar o trabalho do catador “, explica Jaison Duani Vargas. Outro propósito da iniciativa foi valorizar a categoria e possibilitar uma renda mais expressiva, já que o carrinho elétrico permite mais economia e capacidade de carga elevada. Como a legislação não permite que veículos elétricos, como o Cavalo de Lata, trafeguem em vias públicas, Vargas e Ana Paula precisaram adaptar  o projeto e olhar para a iniciativa privada. “Indústrias, feiras e eventos, ilhas, todos podem usar esse tipo de veículo. O custo–benefício se torna muito interessante.”

Proteção aos animais

A publicitária Ana Paula Knak e o engenheiro de produção Jaison Duani Vargas também dedicam seu tempo ao resgate de animais vítimas de maus-tratos. Hoje, 23 estão sob a responsabilidade do casal.  É nesse processo que a  ONG trabalha para fortalecer o processo de transição com as famílias, onde substituem o cavalo como meio de sustento por oportunidades de emprego em outras áreas. “Acompanhamos as pessoas atendidas nos primeiros meses para garantir o andamento do processo e encaminhamos os animais para reabilitação e, posteriormente,  ao processo de fiel depositário.”

Reconhecimento

Em 2013, um ano após a criação da ONG, a Cavalo de Lata foi destaque no  Ciclo de Debates AbraLatas, onde garantiu a oportunidade de percorrer as principais capitais brasileiras. Também recebeu importantes honrarias como o Prêmio  Fecomércio de Sustentabilidade (2015) e o Líderes e Vencedores (2017). No ano passado, a iniciativa ainda foi selecionada para participar do TEDex Unisc. Mas Jaison Duani Vargas é enfático: o prêmio mais profundo vem da rua. “A movimentação das pessoas envolvidas com a causa animal e com os próprios catadores, que puxam a frente de iniciativas em várias cidades do Brasil, é o maior reconhecimento que podemos ter.”

Entre em contato: interessados em fazer parte desta parceria podem entrar em contato direto com Vargas, pelo telefone (51) 99682 5108 ou pelo Facebook Cavalo de Lata.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *