Caminhos do Tabaco: isso tudo é Brasil

Por: Romar Beling

Santa Cruz do Sul/RS – Nada poderia ser mais simbólico do que um filhote de coruja aparecer na estrada na primeira visita da expedição Os Caminhos do Tabaco 2020, no dia 17 de fevereiro. A equipe se deslocava pelo interior de Ivaí, no Paraná. O produtor rural Giovane Luiz Weber parou o veículo e, com a experiência de uma vida no meio rural, acolheu a ave. Coruja, símbolo de sabedoria, sagacidade, inteligência. Sinal da natureza para ficar com os olhos bem abertos ao novo?

Esta era a proposta da própria expedição. Seguir por caminhos da região Sul do País, com o olhar atento ao produto que, justamente, motivava a incursão: o tabaco, com seus reflexos sobre a socioeconomia. Mas é da essência do jornalismo estar sempre com os olhos abertos em 360º, saber identificar na rotina o sinal do diferente, do especial. Como um filhote de coruja surgindo do nada no meio do caminho. Tão logo acolhido, ele foi de novo colocado junto da mata da qual surgiu, para que seguisse seu destino. E o mesmo fizeram os integrantes da expedição.

A exemplo daquela primeira surpresa, no contato com a natureza, outras se apresentaram pelo caminho. Outros animais, de papagaios banhantes a cães simpáticos. Pessoas, paisagens, plantas, árvores, frutas, flores, horizontes. O convívio familiar. Tudo merece um olhar… sagaz. Porque é cultura. Da agricultura à cultura humana. O Magazine compartilha um compilado de imagens e lembranças de uma viagem que, a exemplo do que protagonizou Weber, ao desfraldar a bandeira do Brasil em meio à lavoura, merece ser tratado com orgulho. E com sabedoria.

A coruja que surgiu no caminho
No interior de Ivaí, no Paraná, um filhote de coruja surgiu voando a partir de um matagal à beira da estrada de chão. O produtor rural Giovane Luiz Weber parou a caminhonete, desceu e acolheu a ave, que não se esquivou e inclusive posou para algumas fotos captadas pelo fotógrafo Lula Helfer. Seria apenas a primeira das interações com aves e animais, que sempre se prontificavam a brincar com a equipe ou a deixar captar alguma imagem. No variado mosaico cultural e de diversificação de rendas em toda a região Sul, muitas lições e muitas aprendizagens aguardavam pela equipe.

Água que refresca e sacia a sede
Em tempos nos quais se discute com tanta ansiedade e interesse a necessidade de preservação de recursos naturais, e em que a prolongada estiagem leva a refletir sobre a disponibilidade de recursos hídricos, o agricultor Silvério Salva, em Putinga, dá uma aula pontual de consciência ambiental. Um poço situado a poucos metros de sua residência, no pátio, fornece água fresca, fresquíssima, pura, de uma leveza impressionante. Várias vezes ao dia ele desce o balde no poço e, com manivela, o retira para refrescar-se e saciar a sede. Qualidade de vida cada vez mais rara.

Pare, olhe e escute, onde quer que ande
Uma das riquezas recorrentes, autênticas e mais gratificantes de um roteiro pelo meio rural do Brasil está na hospitalidade e no acolhimento das pessoas. Em cada propriedade, junto a cada família, a certeza de laços de amizade e de estima. Os integrantes da equipe da expedição foram convidados a partilhar de lautos almoços, e conhecer diferentes culturas.

No Paraná, em região colonizada por ucranianos, as novidades se salientavam a cada visita. Em Rebouças, conserva de broto de bambu, e de poronguinhos tenros. Em Ivaí, a produção caseira de pitaia. Em Santa Catarina, em Pouso Redondo, o papagaio flagrado em seu refrescante banho. Ao lado, uma belíssima e rara orquídea do mato. Já em Canguçu, na região Sul gaúcha, uma exuberante planta de tomate de árvore, carregada de frutas. E animais de estimação, que nunca se esquivavam de um afago.

Na infraestrutura, as benfeitorias e os recursos modernos, de um mundo digital, convivem com a junta de bois, indispensável para o trabalho em áreas íngremes. E a roda com manivela clássica para retirar água do poço. Na paisagem, as sempre eficientes cercas de pedra, que, desde os primórdios da ocupação europeia, ainda permanecem cumprindo a sua função e a sua missão, sem qualquer custo adicional.

É o mundo do agronegócio, que respira cultura por todos os lados e extravasa hábitos, costumes e tradições. A grande maioria das riquezas do Brasil e do planeta, em sua economia e também em sua plenitude humana, só podem ser encontradas nesse ambiente em que o cultivo de alimentos e matérias-primas ocorre de uma única forma: graças a recursos naturais. Por isso, é um campo fértil para expandir o olhar sobre a vida, e o próprio horizonte mental de cada um.

O projeto
A Expedição Caminhos do Tabaco está em sua quinta edição e é uma iniciativa da Gazeta Grupo de Comunicações. O patrocínio é da Prefeitura de Santa Cruz do Sul, Sinditabaco, Unisc, Afubra e Philip Morris Brasil, e o apoio é de City Car Aluguel de Veículos. Veja mais fotos no Portal Gaz

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *