CALOR FORA DA ÉPOCA DEIXA PRODUTORES EM ALERTA NO RS

Venâncio Aires/RS – As últimas semanas têm sido de muito trabalho para os fumicultores do Vale do Rio Pardo, o maior polo de produção e beneficiamento de tabaco no Brasil. O transplante das mudas dos canteiros para a lavoura anda em ritmo acelerado na região mais baixa (Venâncio Aires, Santa Cruz do Sul, Passo do Sobrado, Vera Cruz, Vale do Sol e Candelária), mas o clima deixa os agricultores em alerta.

Claudir Lorencetti, diretor de produção de tabaco da Alliance One Brasil, disse ao jornal Folha do Mate que os altos volumes de chuva registrados em julho e as mais de duas semanas com temperaturas acima dos 30 graus são atípicas para esta época do ano. Segundo ele, a chuvarada do mês passado dificultou a preparação da terra. Fazer esse trabalho em período de muita umidade acaba compactando o solo, o que pode prejudicar o desenvolvimento das plantas, adverte Lorencetti.

De acordo com o especialista, embora esteja prevista a volta da chuva para a segunda quinzena do mês, os volumes devem ser baixos, o que pode facilitar a vida de quem ainda não preparou a lavoura nem iniciou o transplante das mudas. Claudir Lorencetti reforçou ainda que, com previsão de El Niño para a safra (excesso de chuvas), o produtor das regiões mais baixas e suscetíveis a alagamentos devem trabalhar com camalhões mais altos e largos e escalonar as fertilizações de base e cobertura.

Jornal Folha do Mate
Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *