Anuário mostra a realidade no setor de tabaco

Santa Cruz do Sul/RS – A cadeia produtiva do tabaco vive um período de intensa transformação. É o que o Anuário Brasileiro do Tabaco 2019, publicação da Editora Gazeta, unidade da Gazeta Grupo de Comunicações, revela ao País e ao mundo. O lançamento oficial da edição, a 23ª, acontece hoje em reunião-almoço a partir das 11h30 no Quiosque da Praça, em Santa Cruz do Sul. A atividade, para convidados, congregará lideranças, autoridades e representantes de entidades, organismos e empresas do setor.

Conforme o gestor de Conteúdo Multimídia da Gazeta, Romar Beling, a edição de 2019 busca dimensionar a modernização e as inovações introduzidas na cadeia do tabaco em toda a região Sul. “ “A cultura do tabaco talvez seja a que, em âmbito de Brasil, com mais eficiência promove a diversificação, o que se traduz em mais fontes de renda, em melhor subsistência das famílias e em equilíbrio na relação com o meio ambiente, nos cuidados com o solo, as águas e as florestas”, frisa.

Em 132 páginas, o Anuário apresenta textos em português e inglês e terá circulação nacional e internacional, nas versões impressa e digital. Entre as seções editoriais estão entrevistas especiais com o secretário da Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Fernando Schwanke; e com o presidente do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), Edson Vismona.

Schwanke aborda a atual relação do governo federal com o setor, com a preocupação de reconhecer e fortalecer a importância econômica e social tanto para as regiões produtoras quanto para o País como um todo. Já Vismona refere os prejuízos e as ameaças relacionados ao forte merca-do ilegal de cigarros no País, cuja participação de mercado já chega a 57%, com risco acentuado à saúde e evasão de divisas.

O Anuário traz estatísticas atualizadas do tabaco no País e no mundo, e apresenta a realidade no campo, onde mais jovens tomam a decisão de investir na produção dessas folhas como forma de construir sua vida. Embora tenha havido leve recuo em área e volume, a produtividade segue estável, e da mesma forma o número de famílias produtoras, evidência de que o tabaco segue como uma das principais atividades a assegurar a permanência da população no meio rural.

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *