EXPEDIÇÃO: NOVAS LENHAS PARA SECAR O TABACO

Candelária/RS –  Nosso terceiro dia de viagem começou nessa terça-feira em Santa Cruz do Sul. A primeira parada foi em Candelária, quase no limite com o município de Novo Cabrais. Lá conhecemos o fumicultor Fábius Jung, 41 anos. Há 15 ele deixou de usar lenha na cura do tabaco. Incentivado por um amigo que trabalhava em uma olaria, migrou para serragem, cavaco e maravalha. Com o tempo, até casca de arroz foi usada para manter os fornos em operação.

Além da queda expressiva nos custos com esse insumo, Jung ajuda o meio ambiente ao reduzir a emissão de CO2. Em parceria com o Centro de Pesquisas Florestais da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), nesta safra ele usou o chamado pellet, espécie de serragem compactada que até lembra ração animal. O produto mostrou-se eficiente e será novamente utilizado na safra 2016/17, mas aí com ajustes no forno para melhorar ainda mais os resultados.

Fábius Jung mostra os pellets, produto que substitui a lenha na secagem do fumo

Fábius Jung mostra os pellets, produto que substitui a lenha na secagem do fumo

Igor Müller e Bruno Pedry
igor@editoragazeta.com.br
bruno.pedry@gazetadosul.com.,br

Expedição_patrocínios

Share

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *